Alguns dos alunos que receberam o Prémio Esforço e Dedicação, Foto: mediotejo.net

Há cerca de uma década que a Fundação Maria Dias Ferreira, em Ferreira do Zêzere, premeia os alunos do Agrupamento de Escolas, não só pelo Mérito Escolar, mas também por valores como a dedicação, companheirismo e solidariedade.

Por exemplo, o aluno Simão Ribeiro, do 2º ciclo, que se dedica com empenho nas tarefas do projeto “Konta Komigo – Horta Solidária”. Ajudou na melhoria das paredes exteriores do ginásio raspando a tinta antiga. A sua dedicação vai para além do horário escolar, colaborando na rega da horta à hora do almoço e nas tarefas de limpeza do pátio.

Outros alunos foram distinguidos por ajudarem na integração de colegas com comportamentos desajustados ou por ajudarem outros nos estudos.

Esta iniciativa em parceria com o Agrupamento de Escolas repetiu-se no dia 28, com a entrega dos prémios de Mérito Escolar, Esforço e Dedicação e Companheirismo e Solidariedade perante alunos, professores, pais, autarcas e dirigentes.

José Afonso Sousa, presidente da Fundação, foi o primeiro a usar da palavra para explicar o objetivo da iniciativa. Lamentou que este ano não tenha havido propostas para a vertente Ecologia e Sustentabilidade, um prémio novo, desafiando alunos e professores para que apostem em algumas iniciativas para aumentar a consciência ambiental.

Ao mesmo tempo anunciou que a Fundação vai dinamizar algumas iniciativas de modo a sensibilizar as crianças e jovens e as suas famílias para a importância do meio ambiente e da biodiversidade.

Isabel Saúde, diretora do Agrupamento, realçou alguns dos valores que definem as prioridades do projeto educativo do Agrupamento de Escolas: promover o conhecimento e desenvolver a educação para os valores sociais e humanos.

“Queremos implementar melhores aprendizagens para todos os alunos. Queremos que os bons se superem, que os que têm dificuldades as ultrapassem, que os que têm incapacidades se sintam integrados e que tudo isto aconteça num ambiente de entreajuda, camaradagem e profissionalismo”, referiu a dirigente.

“Queremos ser uma Escola Inclusiva, com letra maiúscula”, desígnio para o qual apelou à participação de todo. “A entrega destes prémios é um tijolo nessa construção, um passo nesse caminho que juntos estamos a percorrer porque sabemos para onde queremos ir”, concluiu Isabel Saúde.

O novo presidente da Câmara, ele próprio antigo aluno da escola Pedro Ferreira, também interveio dando o seu exemplo de perseverança por lutar durante muitos anos para conquistar o poder camarário.

Dirigindo-se sobretudo aos alunos, Bruno Gomes desafiou-os a acreditarem nos seus sonhos e a trabalharem muito para que os possam concretizar. Apelou à humildade, à tolerância e à justiça.

“Trabalhem muito e nunca duvidem de vocês mesmos. Tudo é possível, assim todos trabalhem para isso”,  sublinhou.

No final, o autarca deu os parabéns à Fundação e ao Agrupamento por premiarem não só os melhores alunos, mas outros que revelaram valores por vezes são mais importantes do que as boas notas.

Os prémios, segundo os promotores, “visam apoiar os jovens do Concelho de Ferreira do Zêzere, promovendo incentivos ao desempenho escolar, nas suas diversas vertentes”. Premeia-se o mérito – Prémio de Mérito escolar, atitudes de perseverança e melhoria – Prémio de Esforço e Dedicação, e comportamentos altruístas – Prémio de Companheirismo e Solidariedade.

Com estes prémios no valor pecuniário de 150 euros cada um, aquela Fundação e o Agrupamento “mostram o seu compromisso em formar jovens cidadãos ativos, autónomos e responsáveis, para quem os valores de liberdade, integridade, cidadania, participação, excelência e exigência se constituam como imperativos”.

Prémio Esforço e Dedicação

3º ciclo – Lara Godinho

2º ciclo – Simão Ribeiro

1º ciclo – Matilde Cristovam

Prémio Companheirismo e Solidariedade

3º ciclo – Bernardo Graça

2º ciclo – Beatriz Ferreira

1º ciclo – Matilde Antunes

Prémio de Mérito

1º ciclo (alunos com classificação 5 em quase todas as disciplinas) – Beatriz Godinho, Maria Leonor Antunes, Raquel Vicente, Salvador Domingos e Tomás Ricardo

2º e 3º ciclos (alunos com classificação máxima) – Bia Silva, David Morgado, Filipe Maria e Martim Veríssimo

Secundário (alunos com média igual ou superior a 17 valores) – Diogo Ramos, Inês Figueiredo, Joana Rodrigues e Sofia Antunes.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.