Para assinalar o Dia do Animal, a empresa petMaxi, com sede em Ferreira do Zêzere, vai oferecer duas toneladas de ração a associações de Tomar, Abrantes, Golegã e Torres Novas. Hoje entregou os primeiros 500 kg na ADACA, em Abrantes. Foto: petMaxi

Esta sexta feira, dia 4 de outubro, celebra-se o Dia do Animal e para comemorar esta data a empresa petMaxi, com sede em Ferreira do Zêzere, vai oferecer duas toneladas de ração a associações de Tomar, Abrantes, Golegã e Torres Novas e programou  algumas atividades, aceitando o desafio da IACA – Associação Portuguesa de Alimentos Compostos para Animais.

A empresa procedeu esta quinta-feira à primeira entrega prevista para a ação do dia do animal tendo estado na associação Patudos de ADACA, em Abrantes, onde entregaram 500 kg de ração que “vão ajudar a tornar estes 150 animais mais felizes”. Na sexta-feira, as entregas vão decorrer em Tomar e na segunda-feira na Golegã e em Torres Novas.

Uma das iniciativas da petMaxi consiste precisamente na entrega de duas toneladas de ração a serem distribuídas pela APAR – Associação Protectora dos Animais da Região do Ribatejo, ADACA – Associação de Defesa dos Animais do Concelho de Abrantes, APABA- Associação Protectora dos Animais «Os Bons Amigos» na Golegã e a Associação Protectora dos Animais de Torres Novas.

“Infelizmente não conseguimos chegar a todo o país, mas pelo menos neste dia, contribuímos para que alguns dos animais do nosso distrito sejam mais felizes”, explica a empresa em nota de imprensa.

A empresa procedeu esta quinta-feira à primeira entrega prevista para a ação do dia do animal tendo estado na associação Patudos de ADACA, em Abrantes, onde entregaram 500 kg de ração. Foto: petMaxi

Outra atividade envolveu os alunos do agrupamento de escolas de Ferreira do Zêzere que foram desafiados pela empresa para desenvolverem alguns trabalhos em prol da sensibilização para a adoção e um apelo a que a população não abandone cães e gatos.

A apresentação vai decorrer esta sexta feira às 14h30 na sede da APAR, no canil da Zona Industrial de Tomar, onde os 63 alunos envolvidos vão ajudar a entregar a ração a esta associação.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *