Vespa velutina continua em força na região. Foto: DR

Durante o ano 2020, os serviços da Câmara Municipal de Ferreira do Zêzere localizaram e retiraram 13 ninhos primários e 98 definitivos de vespa asiática, totalizando 111 ninhos distribuídos por todo o território do concelho, nomeadamente 19 em Águas Belas, 15 em Bêco, 5 em Chãos, 23 em Ferreira do Zêzere, 4 em Igreja Nova do Sobral, 23 em Nossa Senhora do Pranto e 22 em União de Freguesias de Areias e Pias.

A autarquia deu conta do balanço anual quanto à presença da vespa asiática no concelho, cujos ninhos são eliminados por uma equipa especializada.

Em comunicado, a câmara refere que, no ano transato, “reforçou-se a colocação de armadilhas para vespa velutina em todo o concelho, num total de 1150 armadilhas, todas elas georreferenciadas e com uma distância de colocação entre as mesmas de 100 a 500 metros e revistas duas vezes”. Estas armadilhas foram marcadas com uma faixa amarela para atrair insetos e suspensas por um cordel com a informação “Proteção Civil F. Zêzere, Armadilha seletiva para Vespa Velutina, Isco Não Perigoso!”.

O objetivo principal destas armadilhas é a captura de vespas velutinas rainhas após o seu período de hibernação, “”um trabalho pioneiro efetuado com fundos do próprio município, seguindo aconselhamento técnico especializado”, de acordo com o mesmo comunicado.

Esta ação implicou um investimento total de 24 mil euros, sendo certo que, “dada a expressividade dos números, os próximos anos continuarão a ser decisivos no controlo desta ameaça no nosso território”, anuncia a autarquia.

Os números agora apresentados “servirão igualmente de base para o plano de ação para 2021”, prosseguindo a autarquia na aposta ao combate à vespa velutina, “tendo em conta a ameaça ao ecossistema local, prejuízos apícolas e perigosidade para o ser humano”.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.