Ferreira do Zêzere assinala no sábado 800 anos de Foral Vila Ferreiro. Fotografia: Arlindo Homem

A Câmara Municipal de Ferreira do Zêzere vai atribuir o nome do compositor Alfredo Keil ao Centro Cultural da vila. A iniciativa acontece no âmbito das comemorações dos 800 anos do Foral de Povoamento de Ferreira do Zêzere, a terem lugar no sábado, dia 24 de setembro, e em que irão realizar-se 800 minutos de atividade cultural e desportiva promovidos pelas associações do concelho.

No sábado, no âmbito das comemorações dos 800 anos do Foral Vila Ferreiro, a praça Dias Ferreira, junto à Câmara Municipal, vai ser o palco, entre as 09h00 e as 22h00, de exibições de vídeos ilustrativos das associações e apresentações ao vivo das atividades representativas de cada coletividade.

Estes 800 minutos integram a sessão solene comemorativa que terá lugar às 16h30 no centro cultural de Ferreira do Zêzere. Nesta sessão será firmado um protocolo com a família Keil que visa a cedência do espólio de Alfredo Cristiano Keil, ligado a Ferreira do Zêzere, para exposição a realizar no concelho.

Em parceria com a Fundação Maria Dias Ferreira será também apresentado o 15º livro da coleção Lendas e Narrativas de Ferreira do Zêzere, “Pedro Ferreiro, o Besteiro do Rei”, texto de Risoleta Pinto Pedro e ilustração de Teresa Sá da Bandeira.

A proposta de atribuição da nova designação ao centro cultural, aprovada por unanimidade a 25 de agosto, refere-se a Alfredo Keil como “uma personagem incontornável de várias manifestações artísticas que determinam a identidade portuguesa e da história ferreirense”.

A partir do dia 24 de setembro, a fachada do Centro Cultural vai, assim, ostentar o nome de Alfredo Keil, figura marcante da cultura portuguesa no final do séc. XIX e início do séc. XX.

Na reunião de Câmara, o presidente Bruno Gomes deu conta dos contactos estabelecidos com a família de Alfredo Keil no sentido de se conseguir trazer para Ferreira do Zêzere a parte do espólio do compositor e pintor referente ao concelho e à região, como seja quadros, cartas, cadernos e outros objetos, o que agora se concretizará.

Segundo a vereadora Elisabete Ferreira, todo o espólio está arrumado em 300 caixas em casa da família Keil e vai ser necessário fazer um levantamento e registo de cada um dos objetos, um trabalho que pode demorar de quatro a seis meses.

Este projeto está a ser desenvolvido em parceria com a Fundação Maria Dias Ferreira.

Foi na Frazoeira, na atual freguesia de Nª Srª do Pranto, que a Banda Filarmónica Frazoeirense interpretou pela primeira vez “A Portuguesa”, perante a presença do seu autor, Alfredo Keil, durante uma das suas passagens pelo concelho.

Em 1890, em Portugal, viviam-se momentos de exaltação provocado pelo ultimato de Inglaterra, o que inspirou Alfredo Keil a compor uma marcha de sentido patriótico chamada “A Portuguesa”, com a letra de Henrique Lopes de Mendonça.

Com a implantação da República, em 5 de outubro de 1910, esta marcha foi adotada para Hino Nacional pelos republicanos, sendo considerado um dos símbolos maiores da nossa identidade nacional.

No site da Junta de Freguesia de Nª Srª do Pranto, refere-se que “Alfredo Keil, percorreu montes e vales na região, assistiu às festas populares, aos arraiais, às romarias, às procissões e aos trabalhos campestres. São as tradições, os usos e costumes que o artista foi registando ora com o lápis ora com o pincel”.

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.