Sessão descentralizada da Assembleia Municipal de Ferreira do Zêzere. Foto: DR

Todos os deputados da Assembleia Municipal de Ferreira do Zêzere subscreveram e votaram a favor de um voto de louvor ao Sport Clube pela subida à 1ª divisão nacional na modalidade de futsal. A proposta foi aprovada na sessão descentralizada realizada a 24 de junho em Matos e Barbatos, na Freguesia de Areias e Pias, e foi alargada a outras pessoas a entidades.

“É com enorme orgulho e satisfação que proponho nesta Assembleia Municipal um voto de louvor à equipa Sénior de futsal do Sport Club Ferreira do Zêzere por esta ter feito história do nosso concelho ao conquistar a subida à 1ª Divisão Nacional disputando na próxima época a liga Placard de futsal, principal escalão de futsal nacional”, lê-se no documento aprovado.

Os eleitos aprovaram ainda outros votos de louvor a atletas, dirigentes e a elementos da CPCJ (Comissão de Proteção de Crianças e Jovens) que cessaram o mandato.

Ao atleta Filipe Rosa, da Associação Desportiva e Recreativa de Águas Belas, foi aprovado um voto de louvor por se ter sagrado campeão nacional de 3000 metros em pista coberta no escalão veteranos M35 na competição realizada em Pombal no dia 20 de março.

Também com “contentamento, respeito e reconhecida admiração”, foi aprovado um voto de louvor ao atleta Ricardo Santos da secção de natação da Casa do Povo de Ferreira do Zêzere por se ter sagrado Campeão Nacional na distância de 5 km, no seu escalão, no Campeonato Nacional de Águas Abertas que decorreu nos dias 21 e 22 de maio na Barragem do Maranhão em Avis.

O mesmo reconhecimento teve o cidadão Joaquim Henriques pelos “20 anos de dedicação e empenho na presidência do Sport Clube de Ferreira do Zêzere”.

O presidente da Assembleia Municipal, José Casanova, propôs ainda votos de louvor à professora Maria Emília Figueiredo e a Maria Dina Cotrim porque atingiram os nove anos de limite de mandato que a lei permite como membros da CPCJ e como reconhecimento “do seu trabalho e dedicação durante esses nove anos ao Município”.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.