O evento decorreu no recinto do mercado. Foto: DR

Largas centenas de pessoas passaram no domingo, dia 20, pelo mercado municipal de Ferreira do Zêzere onde decorreu a 1ª edição da Feira de Outono. Para a Junta de Freguesia, que organizou a iniciativa, “foi um sucesso” uma vez que atraiu muitos visitantes para apreciar e comprar artesanato e produtos locais.

Marcaram presença a Comissão dos Amigos das Quatro Aldeias Unidas, a Santa Casa da Misericórdia de Ferreira do Zêzere, o Centro Recreativo e Cultural de Carvalhais, a Associação de Pais e Encarregados de Educação de Ferreira do Zêzere, o Sport Club de Ferreira do Zêzere, a Sociedade Filarmónica Ferreirense, a Casa do Povo de Ferreira do Zêzere e a Comissão de Finalistas de Ferreira do Zêzere. 

O objetivo era “promover a economia da Vila, os produtos e produtores locais de frutos secos e outros produtos desta época do ano, a doçaria regional, o convívio e a participação de associações e instituições da freguesia de Ferreira do Zêzere”.

Em paralelo decorreu também no mercado municipal uma feira de artesanato que contou com a presença de 25 artesãos do concelho e da nossa região.

No concurso da maior abóbora, que decorreu durante a tarde, o 1º lugar foi para a Associação de Pais e Encarregados de Educação de Ferreira do Zêzere, o 2º lugar para o Centro Recreativo e Cultural de Carvalhais e o 3º para António Pinto, produtor do Chão da Serra.

A animar a tarde esteve o Grupo de Concertinas de Cernache do Bonjardim e o Grupo Amigos da Paródia da Casa do Povo de Ferreira do Zêzere.

Para concretizar a iniciativa, a junta contou com os apoios da Câmara Municipal de Ferreira do Zêzere e de empresas. A promessa da realização da 2ª edição no próximo ano está garantida.

Os produtores premiados no concurso da maior abóbora, juntamente com autarcas da Junta. Foto: DR

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *