A ministra Ana Abrunhosa na abertura da XXVIII Mostra de Artesanato, Gastronomia e Atividades Económicas de Gavião. Fotografia: mediotejo.net

A abertura oficial decorreu na sexta-feira, 15 de julho, junto aos 57 expositores de artesanato representativos das atividades económicas do concelho, logo ao lado dos três espaços de restauração, apresentando-se como uma mostra da gastronomia de Gavião, e também da azáfama dos últimos preparativos no enorme palco que recebe os vários espetáculos musicais, no Jardim do Cruzeiro, nos três dias de festa.

O certame, que é imagem de marca daquele concelho do Norte alentejano, junta este ano Tim, Calema e GNR como destaques do cartaz musical num programa que conta ainda com atividades desportivas e culturais, entre muitas outras propostas.

A ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, cortou a fita, em conjunto com o presidente da Câmara Municipal de Gavião, José Pio (PS), abrindo as festividades, seguindo-se uma visita do executivo municipal e convidados aos expositores da mostra de artesanato e atividades económicas.

Ministra da Coesão Territorial assina o Livro de Honra de Gavião no âmbito da XXVIII Mostra de Artesanato, Gastronomia e Atividades Económicas. Créditos: mediotejo.net

Antes da abertura oficial do certame a ministra assinou o Livro de Honra nos Paços do Concelho e reinaugurou a Piscina Municipal Coberta, um equipamento de 1999 e que recentemente sofreu obras de requalificação, com a Revisão do Projeto de Melhoria do Comportamento Térmico e Eficiência Energética, uma intervenção no valor de 800 mil euros e que vai permitir uma poupança energética na ordem dos 50 por cento.

As palavras que antecederam a visita aos expositores estiveram a cargo do presidente da Câmara e da ministra da Coesão Territorial, numa ocasião considerada “particularmente feliz” por se tratar da retoma, após um interregno de dois anos devido à covid-19, de um evento organizado pelo Município no sentido de divulgar a cultura, a gastronomia e também o tecido empresarial do concelho, com o objetivo de promover o território.

Reinauguração da Piscina Municipal Coberta de Gavião. Créditos: mediotejo.net

Durante a abertura oficial da XXVIII Mostra de Artesanato, Gastronomia e Atividades Económicas de Gavião a ministra disse ser “tempo de celebrar com vontade redobrada”, porque o evento “é a principal montra do que melhor se faz em Gavião”, e dessa forma “contribui para a economia local e para as instituições” sendo “uma importante atração turística. É necessário manter a aposta em outras iniciativas como esta”, defendeu.

Ana Abrunhosa referiu o resultado dos últimos Censos, sendo Gavião um dos concelhos mais despovoados e envelhecidos do país, considerando por isso “fundamental inverter esta situação”, contando Portugal, para isso, com a União Europeia.

Sublinhou que “o desafio que temos pela frente é aquele que sentimos das alterações climáticas”, problemas que “têm de ser considerados na hora de fazer investimentos”. Referindo-se à independência energética, Ana Abrunhosa falou na possibilidade, nestes territórios do interior, da existência de “ilhas para produzir energia para autoconsumo”. Outro dos aspetos focados pela ministra foi a necessidade de “trabalharmos em comunidade”, ou seja, “os municípios cada vez mais trabalharem em rede para não duplicar investimentos”.

A governante abordou ainda o investimento na Barragem do Crato, no mesmo dia em que foi inaugurado no Alqueva o maior parque solar flutuante da Europa.

ÁUDIO | Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, na cerimónia de abertura da XXVIII Mostra de Artesanato, Gastronomia e Atividades Económicas de Gavião
XXVIII Mostra de Artesanato, Gastronomia e Atividades Económicas de Gavião, durante a cerimónia de abertura. Ministra Ana Abrunhosa. Créditos: mediotejo.net

Por seu lado, o presidente da Câmara Municipal de Gavião, José Pio, que começou por dirigir palavras de agradecimento aos presentes, nomeadamente à ministra, “pessoa particularmente atenta aos concelhos do interior do País”, lembrou os “dois anos penosos em que a pandemia impediu” de realizar a Mostra. Por isso, “voltamos hoje e agora, à moda antiga, mas com um layout moderno e arrojado, retomando a consolidação de um evento que já marcava e vai continuar a marcar as agendas de férias, quer dos naturais, quer dos milhares de forasteiros que nos visitam”, disse.

XXVIII Mostra de Artesanato, Gastronomia e Atividades Económicas de Gavião, durante a cerimónia de abertura. Créditos: mediotejo.net

O presidente aproveitou o momento para falar sobre “os 7 milhões de euros de obras em curso, com particular destaque para a Incubadora de Empresas, a Rua 23 de Novembro e Beco das Piscinas, a futura Piscina Descoberta, o futuro Museu dos Carros de Atrelar, o Parque de Feiras e Parque Infantil de Vale de Gaviões, o Lagar da Fraga de Belver, a Casa do João Ascensão, a recuperação da Escola de Degracia e a ampliação do Edifício sede do Agrupamento de Escolas de Gavião”.

E lançou à ministra da Coesão Territorial alguns pedidos de apoio para outros investimentos municipais, nomeadamente para a nova área de acolhimento empresarial de Gavião, num investimento estimado em 6 milhões de euros, para a Estratégia Local de Habitação e para a renovação do Mercado Municipal de Gavião.

ÁUDIO | Presidente da Câmara Municipal de Gavião, José Pio, no seu discurso na cerimónia de abertura da XXVIII Mostra de Artesanato, Gastronomia e Atividades Económicas

A Ana Abrunhosa, o autarca lançou ainda um desafio para um investimento de cariz regional que, segundo considera José Pio, teria “impacto internacional”: a ligação da A23 à A6.

“Sendo Portalegre a única capital de distrito que não é servida por qualquer autoestrada, entendemos que essa ligação podia existir a partir do nó de Mouriscas, aproveitando a ponte rodoviária (hoje só rodoviária devido ao encerramento da Central Termoelétrica do Pego) existente sobre o rio Tejo, seguindo depois pela Nacional 118 até ao nó de Arez, onde interceta o IP2 até Portalegre e à A6”, avançou.

José Pio defende que, com essa aposta, “passaríamos a ter uma ligação por autoestrada na capital de distrito e também ligação à plataforma logística do Caia desde o Norte do Alentejo e do Centro de Portugal”.

VÍDEO

Este sábado, o convívio arrancou com uma aula de zumba no Jardim do Cruzeiro. Às 18h00 haverá animação com Athis e, a pensar nos mais novos, os insufláveis abrem às 18h30. Pelas 23h00 atuam os Calema e a festa prolonga-se até às 04h30 da manhã, com animação de DJ’s.

Ainda na tarde de sábado, estará em Gavião o ministro da Educação, João Costa, pelas 17h00, para lançar a primeira pedra da obra de ampliação do Agrupamento de Escolas Gavião, uma obra que rondará os 750 mil euros com um prazo de execução de 365 dias.

XXVIII Mostra de Artesanato, Gastronomia e Atividades Económicas de Gavião, durante a cerimónia de abertura. Créditos: mediotejo.net

No dia 17 de julho, o domingo começa cedo, pelas 09h00, com um torneio de malha na Torre Fundeira. À tarde o DJ Diogo Silva anima o Jardim do Cruzeiro às 18h00 e pelas 22h30, a animação musical regressa ao Jardim do Cruzeiro com a atuação dos GNR. Os DJ’s African Groove encerram as festividades.

No espaço funcionam três restaurantes – O Castelo, O Manel e O Pescador –, e duas tasquinhas, uma da responsabilidade da Banda Juvenil do Gavião e outra do restaurante O Belver. Os quiosques de cerveja estão entregues a três associações do concelho, e o bar de bebidas espirituosas a outra coletividade gavionense.

Nos expositores podemos encontrar variado artesanato, desde bijutaria, latoaria a sabonetes, passando pela confecção artesanal de roupa e bonecos de trapos, bem como brinquedos em madeira, artesanato de Belver, e cartões magnéticos que Susana e Anabela trouxeram do Entroncamento.

Há também stands com produtores regionais, desde o mel ao queijo, passando pelos enchidos de Felisbela Matos de Vale de Gaviões, doçaria, ginja e outros licores, e até cerveja artesanal. Como o calor aperta, não deixe de provar o gelado de requeijão e mel de Vitor Claro, um apicultor de Belver com empresa sediada em Vila Velha de Rodão.

A cerimónia de inauguração contou com várias entidades, nomeadamente com o presidente da Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo, Hugo Hilário, o deputado do PS eleito por Portalegre, Eduardo Alves, António Ceia da Silva, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo – CCDR Alentejo, com os dois vereadores da oposição de Gavião, eleitos pelo PSD, Vitor Filipe, e pela CDU, Rui Vieira, e com os presidentes das Juntas de Freguesia do concelho.

GALERIA

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.