A Feira Medieval de Belver vai regressar no final de junho com organização da junta de freguesia local. Foto: DR

A XVI edição da Feira Medieval de Belver vai decorrer em junho nos dias 24 e 25, confirmou ao nosso jornal Martina de Jesus, presidente da Junta de Freguesia de Belver. Um evento que leva até à vila representações da época medieval e vários artesãos e que, durante dois dias, recriam um ambiente diferente, sendo atração de milhares de pessoas.

Segundo Martina de Jesus, a Junta decidiu avançar com a Feira Medieval após “a Assembleia de Freguesia ter legitimado o Executivo da Freguesia a procurar soluções alternativas que possam ajudar a reviver o certame”.

A localidade ribeirinha de Belver iniciou em 2001 a sua tradicional Feira Medieval, evento que se tornou anual, tendo havido um interregno de dois anos devido à pandemia de covid-19.

Agora, tendo em conta que o País regressa paulatinamente à normalidade, a decisão de não realização do evento pela Câmara Municipal de Gavião não caiu bem entre os belverenses, que a contestaram.

“Não aceitamos a decisão da Câmara Municipal. Estivemos dois anos parados e há condições sanitárias para voltar à normalidade, embora com os devidos cuidados”, afirmou a presidente eleita pelo PS, partido que também governa os destinos do concelho.

A Feira Medieval de Belver regressa este ano com organização da junta de freguesia local. Foto: DR

As restantes festas organizadas pela Câmara, nomeadamente o Beat Fest, na Comenda, e as Jornadas do Feijão Frade, de Margem, não têm lugar este ano. A Feira Medieval também não teria se a Junta de Freguesia não decidisse avançar com a realização do evento. A Câmara de Gavião justificou a decisão com “o acréscimo significativo dos custos que envolvem toda a logística para a realização de cada evento” e a “instabilidade e incerteza” da pandemia de covid-19.

No entanto, Martina tem uma visão diferente daquela que foi anunciada pelo Executivo Municipal e vinca que o evento “dinamiza a economia local. Dinamiza muito a Freguesia e o Concelho. Na justificação da Câmara não encontro nenhum argumento válido e a minha função é defender Belver”, sublinhou.

Quanto às questões financeiras, considera que “após dois anos sem eventos, a situação financeira deveria estar salvaguardada”. Além disso, “a missão dos eleitos é servir as populações. E as pessoas estão ansiosas por voltar à normalidade”, refere a presidente.

A XV Feira Medieval de Belver, no concelho de Gavião, decorreu em 2019. Créditos. mediotejo.net

Após a Câmara Municipal de Gavião ter anunciado que em 2022 a autarquia apenas organizaria a Feira Mostra de Artesanato, Gastronomia e Atividades Económicas, dos vários eventos anuais que habitualmente se realizam em Gavião, surgiu uma tomada de posição da Assembleia de Freguesia de Belver manifestando-se contra a decisão do Executivo Municipal, que excluiu a Feira Medieval. Tal posição foi aprovada por unanimidade na Assembleia de Freguesia no dia 20 de abril e entregue no dia 29 do mês passado ao presidente da Assembleia Municipal de Gavião, Paulo Pires.

Face ao comunicado da Câmara Municipal de Gavião (dia 13 de abril de 2022) a Assembleia de Freguesia de Belver tomou então a seguinte posição: “A Feira Medieval é um evento estratégico não só para a freguesia de Belver como para o Município de Gavião sendo o ponto máximo da celebração do único monumento nacional edificado no concelho; Na sequência da aposta turística, que todos reconhecemos ao município de Gavião, muito nos surpreende esta não-realização pelos motivos alegados (incerteza covid e custos financeiros); Existindo condições sanitárias para a normalização dos eventos culturais e após dois anos sem a realização deste certame entendemos que a sua realização seria imprescindível para a economia local assim como para a sociedade civil que pouco-a-pouco retoma a ‘normalidade’; Ainda agora, no período Pascal, a vila de Belver teve um movimento de turistas acima da média e que muito orgulha esta Assembleia; Desta forma vimos por este meio endereçar o nosso desapontamento e discordância com a decisão do executivo camarário num momento tão particular para a população; A Assembleia de Freguesia legitimou o executivo da freguesia a procurar soluções alternativas que possam ajudar a reviver o certame e desejamos que o Executivo Camarário esteja próximo e contribua neste desafio”.

Em resposta, de acordo com Martina Jesus, o presidente da Câmara, José Pio, reiterou a decisão do executivo municipal explicando que em 2022 “os investimentos vão noutro sentido”.

A Câmara Municipal de Gavião decidiu organizar, este ano, apenas a Mostra de Artesanato, Gastronomia e Atividades Económicas do concelho de Gavião, a realizar nos dias 15, 16, e 17 de julho. Porém, compromete-se em realizar iniciativas culturais, em todas as freguesias, “de modo a desenvolver e a promover o melhor do território”.

XV Feira Medieval de Belver, em Gavião. Créditos. mediotejo.net

Antes do comunicado a decisão foi apresentada em reunião de executivo. O vice-presidente, António Severino, explicou à vereação que o executivo de maioria PS, “face ao orçamento e face ao volume de investimentos que temos neste momento, não têm capacidade para realizar os quatro eventos”, ou seja, além da Mostra de Artesanato, Gastronomia e Atividades Económicas, a Feira Medieval de Belver, o Beat Fest da Comenda e as Jornadas do Feijão em Margem.

Na sequência da decisão, em Belver foi criada uma Comissão Organizadora do evento no sentido de “levarmos para a frente a Feira Medieval. Temos o apoio da população e muitas pessoas querem associar-se. Já articulámos com a Companhia de Teatro Almanach [antiga Companhia de Teatro VivArte que no passado foi responsável pela animação e recriação histórica do evento], e, portanto, a festa será igual ao que era. Para ajudar os agentes locais privilegiei os vendedores da terra, e muita gente quer participar, tasquinhas de comidas e bebidas, haverá animação de rua, grupos musicais, para trazerem até à população o mesmo espírito da Feira”, acrescentou a presidente.

Entretanto, a Junta de Freguesia de Belver solicitou à Câmara Municipal apoio financeiro e apoio logístico. “Estamos disponíveis para trabalhar em colaboração”, mas uma coisa é certa: “Com apoio ou sem apoio municipal, avançaremos!”, assegurou Martina.

Feira Medieval de Belver 2019. Foto: Flávio Catarino

O programa daquela que será a XVI edição da Feira Medieval de Belver – uma vez que a XVI edição pensada para 2020 foi cancelada devido à pandemia – será oportunamente tornado público.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.