"Esta Feira Mostra de 2018 é também um virar de página e possa ser importante para que todos possamos ter estímulo e ambição para um futuro melhor para a nossa terra”, - Vasco Estrela, presidente da Câmara de Mação.

A Feira Mostra de Mação decorre este ano entre os dias 27 de junho e 1 de julho, juntando o tecido empresarial, associativo e cultural na festa maior do município. Em entrevista, o mediotejo.net sentiu o pulsar da dinâmica maçaense com o presidente da autarquia, Vasco Estrela, tendo o autarca defendido que o momento deve servir para um “virar de página para que todos possamos ter estímulo e ambição para um futuro melhor para a nossa terra”.

“É uma altura importante, de reunião da comunidade maçaense, há uma conjugação de esforços por parte da Câmara Municipal de Mação, das associações, das juntas de freguesia E de todas as pessoas que de alguma forma estão envolvidas na concretização da feira e das outras actividades. É também um momento importante de partilha, de convívio de troca de experiência para que todos percebamos melhor o que cada um anda a fazer. E é uma altura de grande festa, de alegria onde também celebramos e podemos perceber que estamos num concelho com vitalidade apesar de tudo aquilo que nos tem acontecido. E, portanto, esta Feira Mostra de 2018 é também um virar de página e possa ser importante para que todos possamos ter estímulo e ambição para um futuro melhor para a nossa terra”, disse o presidente da Câmara de Mação, Vasco Estrela.

É também um momento importante de partilha, de convívio de troca de experiência para que todos percebamos melhor o que cada um anda a fazer. E é uma altura de grande festa, de alegria onde também celebramos e podemos perceber que estamos num concelho com vitalidade apesar de tudo aquilo que nos tem acontecido” – Vasco Estrela.

“A força que temos mostrado ao longo dos anos é no trabalho que as associações vão fazendo ao longo do ano e que muito dele é manifestado nesta Feira. O tecido empresarial do concelho de Mação reúne-se nesta Feira Mostra e é a altura em que celebramos e comprovamos a riqueza da nossa gastronomia…este ano vamos ter oportunidade de mostrar as belezas do nosso concelho, o nosso potencial, como o trail, a descida de canoa no Tejo, o passeio de cicloturismo para a praia fluvial do Carvoeiro, um passeio pela própria vila… mostrar aquilo que o concelho tem de bom e as mais-valias deste concelho”, destacou.

O presidente destacou alguns dos momentos que vão marcar o evento, a decorrer até este domingo, dia 1 de julho: “vai haver um conjunto de manifestações ao longo de todos os dias e que merecem destaque: conjunto de apresentações de livros (porque vamos ter a Feira do Livro inserida nesta mostra), um ato simbólico que é as assinaturas de contratos com as empresas que já estão instaladas no Centro de Negócios e no ninho de empresas, que faz agora um ano. Vamos formalizar a relação que existe entre a Câmara e essas empresas. Teremos obras de arte de António Colaço, que é uma dádiva ao concelho de Mação, teremos a distinção das empresas e nessas empresas simbolizar todo o tecido empresarial do concelho, os empreendedores deste concelho que contribuem para a criação de riqueza, e dar a entender que em Mação é possível criar riqueza e postos de trabalho…”

“O processo não tem sido fácil, as coisas não correram da forma como nós imaginámos que pudessem ter corrido. Falo nos apoios que a população do concelho e a própria autarquia… neste ponto de vista as coisas não correram bem e não estão bem… temo-nos sentido um pouco abandonados, à nossa sorte, com poucas manifestações de solidariedade e sem que os poderes públicos e políticos tivessem para com Mação a atenção que nós entendíamos que merecíamos, tendo em consideração aquilo que foi a dimensão da tragédia no nosso concelho”, lamentou o autarca.

“Temos tentado fazer ouvir a nossa voz, tentar chamar a razão para o nosso lado, nem sempre tem sido possível, continuares a lutar para que seja feita justiça com as pessoas deste concelho. Que esta Feira Mostra também possa marcar aqui um virar de página e que estas contas que têm de ser feitas relativamente à questão dos incêndios sejam feitas, e está na altura de deixar de falar tanto nisto e deixar as coisas correrem o seu curso normal nas instâncias onde têm de correr”, defendeu, na entrevista que decorreu no renovado Jardim Municipal dos Peixinhos, espaço de lazer com muita história e memórias de muitas gerações.

“A força que temos mostrado ao longo dos anos é no trabalho que as associações vão fazendo ao longo do ano e que muito dele é manifestado nesta Feira” – Vasco Estrela.

“Este jardim municipal diz muito a muita gente deste concelho. Era um espaço que estava um pouco esquecido, abandonado, fruto também dos anos que tinha ou dos investimentos terem sido direccionados para outros locais, e tentamos agora também no âmbito de regeneração urbana de Mação dar-lhe aqui uma nova imagem, com um sinal de modernidade sem que perca as características e a sua identidade, tendo em consideração as obrigações legais de acessibilidade para pessoas de mobilidade reduzida, conforto, e, portanto, pensamos que está aqui um espaço aprazível que possa ser usufruído e que esta nova imagem possa ajudar as pessoas a ficarem mais despertas para esta necessidade de fazer coisas melhores para o futuro”.

Sobre a Feira Mostra, que vai marcar estes dias em Mação, Vasco Estrela faz notar que a festa não é da Câmara Municipal mas de todo o concelho de Mação. “Nós temos dito isto de forma recorrente: esta Feira não é a Feira da Câmara mas sim de todo o concelho. Por isso estão todos convocados a dar o seu contributo para que a Feira seja um sucesso e uma mais-valia. O que gostaríamos era que houvesse envolvimento de todas as forças vivas do concelho, de todas as pessoas para que também elas possam mostrar aos que nos visitam aquilo que fazem, as actividades que desenvolvem ao logo do ano, para as pessoas fiquem a saber que naquela localidade há esta ou aquela atividade, que esta ou aquela associação sabem fazer um conjunto de pratos típicos…. Que haja aqui uma conjugação de esforços, de vontades, para que as pessoas tenham orgulho naquilo que por aqui é feito e que se saiba que em Mação sabemos receber e que Mação vale a pena”.

“O desafio que lanço às empresas é este: na Feira, as empresas têm possibilidade de vir aqui demonstrar os serviços, aquilo que fazem diariamente, de forma gratuita, para que potenciais clientes possam conhecer as suas actividades e ramos de negócio. Às vezes os empresários queixam-se que as coisas estão difíceis, mas também às vezes poderiam aproveitar melhor estas oportunidades que a Câmara dá para mostrarem o que são e o que fazem”.

“O tecido empresarial do concelho de Mação reúne-se nesta Feira Mostra e é a altura em que celebramos e comprovamos a riqueza da nossa gastronomia…este ano vamos ter oportunidade de mostrar as belezas do nosso concelho, o nosso potencial…” – Vasco Estrela

Por fim, Vasco Estrela respondeu ao desafio de caracterizar este Feira Mostra, o evento maior anual realizado no município: “uma característica desta Feira é o reencontro das pessoas e que outras pessoas possam regressar às suas origens, ter orgulho naquilo que vamos fazendo, que não percam os laços que sempre os ligaram a esta terra… é nesse sentido que apelamos à presença das pessoas para que visitem esta Feira. O que for bom para Mação é bom para os outros concelhos”, concluiu.

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.