VOLVer em Vila Nova da Barquinha. Imagem: CMVNB

Foram mais de 80 as iniciativas que decorreram entre maio e dezembro e que uniram por meio da cultura os concelhos do Entroncamento, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha no âmbito do programa cultural em rede VOLver. A chegar ao fim, é tempo de refletir sobre quais os impactos desta iniciativa de programação cultural na comunidade.

Música, exposições, dança, teatro, arte urbana, cinema e conferências. Nos últimos meses, a cultura nas suas mais diversificadas formas foi trazida de volta à comunidade através da iniciativa VOLver – programação cultural em rede.

Cofinanciado pelo Programa Operacional Regional do Centro 2020 e com o objetivo geral de promover a qualificação e valorização do tecido cultural e artístico do Médio Tejo, bem como fomentar a animação do património e a itinerância dos espetáculos e manifestações artísticas pelos concelhos envolvidos, entre maio e dezembro a agenda do VOLver promoveu um conjunto de iniciativas dirigidas a todas as faixas etárias e com entrada gratuita nos concelhos do Entroncamento, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha .

Volver – Tango Manso. Foto: CM Entroncamento

Na reta final da iniciativa, importa agora refletir sobre o projeto e avaliar o impacto da sua realização, e é nesse sentido que no próximo dia 11 de dezembro (sábado), pelas 17h30, o Cineteatro São João, no Entroncamento, vai receber uma mesa redonda, a encerrar a iniciativa.

Com participação dos concelhos envolvidos no VOLver, o debate (para maiores de 16 anos) pretende também recolher contributos para novos ciclos de programação conjunta. 

A participação neste momento é gratuita mas carece de apresentação de bilhete. Os mesmos podem ser reservados na Galeria Municipal do Entroncamento (Centro Cultural) das 15h00 às 19h00, no Museu Nacional Ferroviário das 10h00  às 18h00 ou no local, no dia do evento (caso não esgotem anteriormente).

Pode ainda reservar online através do email cultura@cm-entroncamento.pt ou através do número 249 720 400 (+ tecla 6), sendo as reservas válidas até 30 minutos antes do início do debate.

Ana Rita Cristóvão

Abrantina com uma costela maçaense, rumou a Lisboa para se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *