Iluminação pública LED. Imagem Ilustrativa: DR

O presidente da Câmara do Entroncamento, Jorge Faria (PS) deu conta na última sessão de Assembleia Municipal que já foi concluída a empreitada de eficiência energética, a qual, com um investimento de 453 mil euros, permitiu concluir a substituição de iluminação pública da cidade por lâmpadas LED.

“Nós hoje somos uma cidade em que toda a iluminação pública – penso que seremos talvez a primeira do distrito – em que toda a iluminação pública foi substituída por tecnologia LED, com ganhos de eficiência ao nível do consumo energético, e ao nível do ambiente, e isso para nós também é muito relevante”, disse Jorge Faria.

O autarca afirmou também que uma grande parte dos edifícios do município já estão também todos com iluminação LED, e que a autarquia vai continuar para concluir essa substituição, sendo está também em vista a substituição das torres de iluminação do Estádio Municipal e dos Campos de Futebol, além do próprio pavilhão.

Também na reunião de Assembleia Municipal, o deputado Pedro Gonçalves (CDS) abordou o tema da conservação da locomotiva 094, referindo o deputado que algumas pessoas que visitam a cidade gostam de tirar fotografias, “só que a nossa locomotiva 094, um ícone da nossa cidade, está a precisar de uma manutenção urgente”, disse Pedro Gonçalves.

Referindo a existência de uma parceria com o Museu Nacional Ferroviário, o deputado municipal eleito pelo CDS disse no entanto que “estando em espaço público creio que é responsabilidade do município manter e zelar pelo bom estado daquela locomotiva, se não qualquer dia quando começarmos a ver fotografias, começamos a ver as manchas de ferrugem que já existem, e não é uma pintura que vai chegar. É preciso haver uma conservação, porque está à chuva – é verdade – então temos de a conservar”, apontou Pedro Gonçalves.

Locomotiva 094, um “ícone” da cidade do Entroncamento. Foto: Portal de Turismo Medio Tejo

“Se queremos ter uma locomotiva, de uma série que até temos poucas conservadas, se a queremos ter exposta na nossa cidade e muito bem, então temos que preservar o que é nosso. E é alguma coisa que é a nossa história, e temos de preservar a nossa história, porque uma cidade sem história não é uma cidade, é alguma coisa que nasceu há pouco tempo e que não tem história, e nós temos. E aquela locomotiva marca a nossa história”, finalizou o deputado.

Em resposta, Jorge Faria disse que esta é uma situação que “não é fácil”, e que merece ser estudada e ponderada, afirmando que talvez fosse adequado promover uma cobertura num espaço adequado para aquela máquina.

“(…) Já percebemos, até pelo trabalho que tem sido feito pela Fundação Museu Nacional Ferroviário, que a preservação do património tem que ser feita em condições adequadas, e de facto, como sabem, foram sendo retiradas um conjunto de equipamentos e de máquinas que estavam expostos ao ar livre por uma razão simples: é que vão-se deteriorando. E o problema daquela máquina é esse mesmo”, apontou o líder da autarquia entroncamentense.

Jorge Faria disse que a questão que se apresenta é se faz sentido recuperar aquela máquina, com todos os pormenores que lhe são próprios, e mantê-la naquele espaço a céu aberto ou se seria preferível recuperá-la e criar um espaço em que esteja devidamente condicionada, talvez retirando-lhe a sua beleza, mostrando-se aberto a contributos.

Rafael Ascensão

Licenciado em Ciências da Comunicação e mestre em Jornalismo. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo.

Entre na conversa

1 Comentário

  1. Esperemos que em breve, para poupar ainda mais na conta de electricidade comecem a desligar toda a iluminação a partir das 22h. Com o município a dever ainda milhões de euros é de admirar que tenham gasto tanto dinheiro a mudar para LED, e que ainda deixem a iluminação ligada a noite toda.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.