Escola Básica António Gedeão (Foto: mediotejo.net)

Nos últimos anos a Câmara Municipal do Entroncamento tem reforçado os apoios no âmbito da ação social escolar. O mais recente projeto chama-se “Estudar na Cidade” e tem como objetivo apoiar as famílias dos alunos do 5° ao 9° ano de escolaridade através de um subsídio de 30 euros por aluno para compra de materiais e manuais, isto num universo de 1047 alunos.

A autarquia dá apoio para material escolar aos alunos do 1º ciclo do ensino básico da rede pública, com exclusão dos manuais escolares. É atribuída uma comparticipação no valor de 16€ para o escalão A e 8€ para o escalão B. Além disso, prossegue a gratuitidade dos manuais escolares, com a distribuição gratuita no início do ano letivo a todos os alunos do 1.º ciclo do ensino básico da rede pública.

Da sua responsabilidade é o fornecimento de refeições para as crianças da educação pré-escolar e 1º ciclo do ensino básico.

Neste campo, Entroncamento é uma referência a nível nacional porque desde o ano passado introduziu as refeições vegetarianas nas escolas até ao 1° ciclo da responsabilidade do Município.

Relativamente às visitas de estudo, no âmbito da ação social escolar o Município do Entroncamento comparticipa as visitas dos alunos do 1º ciclo e pré-escolar, inseridos no escalão 1 e 2 do abono de família em 100% e 50% respetivamente, do valor total (escalão A  – 20€ e escalão B – 10€).

Tendo em conta a situação económica de algumas famílias, foi proposto em Conselho Municipal de Educação atribuir às crianças da Educação Pré-escolar um Subsídio de 10€ para o escalões A e B.

Segundo o Presidente da Câmara, Jorge Faria, a população estudantil da cidade “tem vindo a crescer ainda que moderadamente e este ano há uma estabilização do número de estudantes”.

Enaltece o “bom parque escolar” e refere os projetos conjuntos que a autarquia tem desenvolvido com o Agrupamento “no sentido de encontrar novas formas de melhorar o ensino e o sucesso”.

Nas escolas onde há estudantes com maiores dificuldades, tem sido feito um trabalho de inclusão que está a ter resultados palpáveis e visíveis, segundo Jorge Faria.

Escola Dr. Ruy d’Andrade (Foto: mediotejo.net)

A Vereadora Tília Nunes, responsável pelo pelouro da educação, apresenta como caso de integração e de sucesso a escola básica do Bonito. Foi a que mais aumentou de forma substancial o número de alunos graças ao empenho da Coordenadora, dos professores, dos assistentes operacionais, do Município e dos pais. Considera esta escola “um caso de estudo e de sucesso”.

Ainda em declarações ao mediotejo.net, a autarca dá conta da candidatura, em colaboração com a CIMT – Comunidade Intermunicipal, do projeto PEDIM, que pretende melhorar ainda mais o sucesso educativo. Consta de quatro vertentes-eixos principais que têm a ver com as novas tecnologias, com as ciências, com a promoção do sucesso escolar com vista à inclusão e execução de projeto educativo estratégico para o Município.

O parque escolar no Entroncamento é composto por seis escolas (Escola-Sede, Escola Básica António Gedeão, Escola Básica do Bonito, Escola Básica da Zona Verde, Escola Básica 2/3 Dr. Ruy d’Andrade e Escola Secundária c/ 3º Ciclo do Entroncamento), sendo cinco da responsabilidade do Município e a escola secundária do Ministério da Educação.

São cerca de 1700 alunos até 9° ano e mais perto de 1100 até ao 12° o que totaliza cerca de 2690 alunos no ensino público na cidade.

No setor privado funcionam o Colégio dos Navegantes, escola Rumo ao Futuro e Centro Social Paroquial, escola João de Deus, Escola Profissional Gustave Eiffel e Encoprof, estabelecimentos de ensino que têm participado nos mesmos projetos educativos da rede pública com resultados positivos, segundo Tília Nunes.

Para a Vereadora a Escola Profissional Gustave Eiffel é uma mais valia para o concelho do Entroncamento e para a região porque tem vindo a criar o seu lugar, a sua pegada positiva por ser uma referência na formação de técnicos profissionais principalmente nas áreas da hotelaria e restauração mas também mecânica e eletricidade e neste momento com cursos novos ao nível da logística e transportes.

Escola Secundária do Entroncamento (Foto: mediotejo.net)

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.