Foto que integra o projeto de requalificação da Travessa do Armazém de Víveres. Foto: CM

O acesso ao Museu Nacional Ferroviário (MNF) vai ser melhorado com a requalificação da Travessa do Armazém de Víveres, que liga as ruas Pedro Álvares Cabral e Almirante Reis. A empreitada integra a ARU 1 (Bairros Ferroviários) e a requalificação da Rua Ferreira de Mesquita, tendo o primeiro passo sido dado com a aprovação da aquisição de um imóvel durante a reunião camarária desta segunda-feira, dia 2, que será demolido.

O único ponto da Ordem de Trabalhos associado às Obras Municipais foi aprovado por maioria com a abstenção dos dois vereadores do PSD presentes na reunião, Jaime Ramos e Kelly Silva, que justificaram o sentido da votação com a falta de informação relativa à avaliação comercial do edifício que ladeia o MNF e funcionou como estabelecimento comercial até há cerca de dois anos, encontrando-se atualmente encerrado.

Jorge Faria apresentou imagens do projeto durante a reunião camarária. Foto: mediotejo.net

Questionado pelo mediotejo.net sobre esta obra que integra a ARU 1, associada aos Bairros Ferroviários, o presidente da autarquia esclareceu que a mesma permite “melhorar o acesso ao museu”, assim como “a visibilidade e o acesso à travessa que liga o MNF à ponte pedonal”. Segundo o autarca, a aquisição do imóvel na Rua Almirante Reis, pelo valor de €22.500,00, também integra o PEDU – Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano.

“Estamos a dar continuidade ao que estava planeado”, referiu Jorge Faria, acrescentando que a demolição do pequeno prédio está englobada na requalificação da Rua Ferreira de Mesquita, conhecida pela “reta dos quartéis”. O projeto global está ser “ultimado” neste mês de julho para que a candidatura aos fundos comunitários seja feita em breve.

Sónia Leitão

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.