Dia de Galveias, nas comemorações da Elevação a Vila por carta de Foral há 484 anos. Créditos: Junta de Freguesia de Galveias

Os 484 anos de elevação de Galveias à categoria de vila foi assinalada no dia 2 de outubro, ou seja, na data em que o rei D. João III concedeu o Foral de elevação a Vila e sede de concelho. O dia foi comemorado com homenagens, musica, cerimónias religiosas e exposições.

Numa iniciativa da Junta de Freguesia de Galveias que pretendeu “assinalar o passado” não como “mera manifestação de saudosismo ” mas como “vontade de encontrar no passado a força necessária para guiar o presente e sobretudo desenhar o futuro”, fez saber a autarquia em nota de imprensa.

As comemorações iniciaram-se junto o Edifício da Junta de Freguesia de Galveias com o hastear da Bandeira Nacional e da Bandeira da Freguesia de Galveias, para acompanhar este momento a Banda da Sociedade Filarmónica Galveense fez ecoar o Hino Nacional e o Hino da Freguesia. Em cortejo seguiu-se até a Igreja Matriz de Galveias onde foi celebrada uma missa em honra de todos os autarcas falecidos.

Carta de Foral que o rei D. João III concedeu a Galveias. Créditos: Junta de Freguesia de Galveias

No Núcleo Museológico de Galveias foi inaugurada a Exposição de pintura “Galveias Terra de Artistas”, um dos pintores convidados foi médico António Jaime Correia Azedo, nascido em Portalegre no dia 5 de setembro de 1949, tendo frequentado o ensino primário e secundário na sua cidade. Licenciou-se na Faculdade de Medicina de Lisboa, em junho de 1975. O seu percurso profissional centrou-se no distrito de Portalegre.

Durante toda a sua vida teve ligação à Freguesia de Galveias, o seu pai era natural da vila. Em outubro de 2011 iniciou o estudo da pintura de forma autodidata, lendo e executando, desde então o seu percurso pela arte artística tem sido marcado por várias exposições e prémios, destacando as duas medalhas de ouro no 9º e 10º Salão Internacional de Arte e Pequeno Formato em Figueira da Foz.

Carlos Sousa, natural e residente em Galveias, também foi um dos convidados a expor, nasceu a 12 de dezembro de 1957, exerceu a sua atividade profissional em Ponte de Sor, na DELPHI, Indústria de Componentes Mecânicos para o ramo automóvel. Estudou durante 5 anos na Escola de Artes Decorativas António Arroio, em Lisboa. Participou em algumas exposições coletivas e recebeu vários prémios, destacando o 1º Prémio Cartaz Feira de Artesanato em Nisa, em 1994 e o 1º Prémio do Brazão Heráldico da Freguesia de Galveias em 1993.

A Orquestra de Harmónicas de Ponte de Sor com a presidente da Junta de Freguesia de Galveias, Fernanda Bacalhau. Créditos: Junta de Freguesia de Galveias

Durante a tarde iniciou-se a Sessão Solene comemorativa do “Poder Local Democrático” com intervenção da presidente da Junta de Freguesia, Maria Fernanda Bacalhau, do presidente da Assembleia de Freguesia, Luís Armando Soeiro, da representante dos eleitos pela CDU, Cecília Matos, da representante dos eleitos pelo Partido Socialista, Rute Neves, do vereador da Câmara Municipal de Ponte de Sor, Luís Jordão, do deputado Eduardo Alves e da professora Paula Oliveira, filha do primeiro presidente eleito por voto popular, o professor Américo Oliveira.

Para terminar as comemorações a Orquestra de Harmónicas de Ponte de Sor apresentaram ao publico presente um repertório repleto de músicas conhecidas por todos, desta forma o Dia de Galveias foi encerrado da melhor maneira possível, cheio de música, cantoria e alegria.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *