Pedro Magalhães em entrevista a Daniel Oliveira. Foto: Perguntar Não Ofende

Nas primeiras eleições legislativas depois da geringonça – mostrando aos portugueses de forma clara que não é preciso ficar em primeiro lugar para formar governo -, será possível que o comportamento dos eleitores tenha mudado?

Para falar do que as sondagens nos dizem, tendo em conta o sistema eleitoral português, ouvimos o cientista político Pedro Magalhães, investigador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, talvez o maior especialista nacional na área das sondagens.

A três dias das eleições legislativas, Pedro Magalhães explica que cerca de 20% dos eleitores muda de opinião na última semana antes das eleições, que a maioria absoluta do PS é quase impossível, que os deputados do PS e do Bloco de Esquerda devem conseguir formar uma maioria sem outros “parceiros”, o que já não será tão fácil com a CDU (que desce) ou com o PAN (que sobe bastante). Alianças à direita serão quase impossíveis, embora o PSD possa salvar a face, sobretudo se os maus resultados previstos para o CDS se confirmarem. E a eleição de deputados dos chamados “pequenos partidos” está muito dificultada, embora possam haver surpresas, no caso do Aliança, Chega, Livre e RIR.

A conversa de 30 minutos com Pedro Magalhães foi conduzida por Daniel Oliveira e está integrada projeto Eleições em Rede 2019*, que junta o podcast Perguntar Não Ofende aos meios digitais Fumaça, Sul Informação e Médio Tejo, os semanários Jornal de Leiria e Jornal do Fundão e ainda os projetos universitários RUM – Rádio Universitária do Minho, RUC – Rádio Universidade de Coimbra e Rádio Universitária da Beira Interior em conjunto com o Urbi et Orbi – Jornal Universitário da Beira Interior (coordenados pelo Remedia.Lab – Laboratório e Incubadora de Media Regionais).

Foi no ano passado que Daniel Oliveira criou com João Martins o podcast Perguntar Não Ofende, “um projeto jornalístico independente, quase sempre sobre política, às vezes sobre coisas realmente importantes”, como se explica no site do projeto.

Daniel Oliveira, que escreve no Expresso e pertence ao painel do programa O Eixo do Mal, emitido pela SIC, assume que “este é um espaço de jornalismo com opinião”, mas que, defende, “não deixa de ser jornalismo”. O facto de o entrevistado conhecer a sua opinião enquanto comentador liberta-o para ir mais longe no tema abordado. “Tudo feito às claras, num formato em que as opiniões não estão escondidas atrás das perguntas.”

Este podcast semanal estreou em maio de 2018 e já recebeu personalidades como Marcelo Rebelo de Sousa, Dilma Rousseff, Boaventura de Sousa Santos, Jaime Nogueira Pinto, Catarina Martins ou Ricardo Araújo Pereira.

*A iniciativa Eleições em Rede 2019 nasceu com o propósito de dar uma dimensão nacional a problemas regionais mas, também, olhar para a eleição de um novo Parlamento através da análise e do escrutínio de grandes temas, ao invés de uma cobertura focada em ações de campanha e comícios. Esta rede é formada pelo podcast Perguntar Não Ofende, pelos meios digitais Fumaça, Sul Informação e Médio Tejo, pelos semanários Jornal de Leiria e Jornal do Fundão e ainda pelos projetos universitários RUM – Rádio Universitária do Minho, RUC – Rádio Universidade de Coimbra e Rádio Universitária da Beira Interior em conjunto com o Urbi et Orbi – Jornal Universitário da Beira Interior (coordenados pelo Remedia.Lab – Laboratório e Incubadora de Media Regionais). Cada meio terá a sua cobertura e linha editorial própria, mas partilha nos seus canais de distribuição (áudio, papel ou vídeo) e redes sociais trabalhos relevantes dos parceiros. Mantendo a independência das redações e o estilo de cada projeto, os artigos, entrevistas e debates produzidos serão discutidos e pensados em conjunto, numa ideia de validação pelos pares.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *