Na Escola Secundária Dr. Manuel Fernandes, em Abrantes, vai nascer no sábado a primeira direção da maior federação nacional de associações de pais atualmente ativa no país. Foto: mediotejo.net

A Escola Dr. Manuel Fernandes, em Abrantes, ocupa o primeiro lugar do ranking nacional do Ensino Profissional relativo a 2015/2016, ano letivo a que reportam os últimos dados divulgados na sexta-feira, 3 de fevereiro, pelo Ministério da Educação (ver tabelas). O diretor Alcino Hermínio acredita que o segredo do sucesso passa pelo número reduzido de alunos e pelo trabalho dos próprios e dos professores. No Médio Tejo, destaca-se também o Colégio de São Miguel, em Ourém, em primeiro lugar do ranking de sucesso nas escolas secundárias (e em 28º no ranking geral), e a Secundária de Mação, a segunda escola pública com melhores resultados nos exames de Português neste ciclo de ensino, a nível nacional.

Os resultados no Ensino Profissional da Escola Dr. Manuel Fernandes, em Abrantes, contradizem claramente a conclusão retirada dos novos dados disponibilizados pela Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência, onde se defende que os alunos do ensino secundário inscritos em cursos profissionais têm mais sucesso nas escolas exclusivamente de Ensino Profissional.

Afinal, a Escola Dr. Manuel Fernandes, com ensino regular e profissional, ocupa o primeiro lugar do ranking nacional do Ensino Profissional relativo ao ano letivo de 2015/2016 – embora, dos 100 estabelecimentos com ensino profissional com melhor desempenho, 65 sejam escolas exclusivamente profissionais.

Este reconhecimento nacional “foi uma surpresa” para o diretor da Escola, Alcino Hermínio, e para a equipa de professores. “Apesar de termos consciência de que estávamos a fazer um bom trabalho no Ensino Profissional, tendo em atenção que muito poucos alunos desistem ou reprovam, não tínhamos a ideia que a nível nacional tivesse uma força tão grande”, disse ao mediotejo.net.

Alcino Hermínio, diretor do Agrupamento de Escolas nº 2 de Abrantes

Assim, dos 589 estabelecimentos avaliados, a Escola Dr. Manuel Fernandes foi a que melhor desempenho mostrou. Em 2015/2016 teve uma taxa de conclusão em três anos de 95%, sendo que a média das escolas semelhantes foi de 58%. E esse é o motivo, mesmo com surpresa, de confirmação do trabalho realizado “porque é uma característica do nosso ensino profissional há vários anos. Temos muito poucas desistências e alunos muito motivados à custa de muito trabalho dos próprios e dos professores”, sustenta Alcino Hermínio.

Em 2015/2016 existiam cursos profissionais no ensino secundário em 687 escolas de Portugal Continental, das quais 224 eram escolas profissionais. Na Escola Secundária Dr. Manuel Fernandes frequentaram o ensino profissional 71 alunos.

“São poucos, e isso provavelmente é um dos segredos do sucesso”, refere o responsável, sublinhando que “esse é um dos problemas dos rankings: há escolas com muitos alunos e outras com poucos”. No entanto, em comparação com escolas “com o mesmo número de alunos no ensino profissional o resultado continua a ser bom”, considera.

Relativamente aos cursos propriamente ditos, o diretor explica que “as escolas vão alterando a sua oferta tendo em conta por um lado os cursos e as capacidades instaladas que têm, por outro a procura em termos de mercado”. Portanto, “fazer a gestão destas variáveis ainda passa pela articulação com as outras escolas de Abrantes e do Médio Tejo”.

No ano do estudo a Escola Dr. Manuel Fernandes abriu três cursos: “No 12º ano, Energias Renováveis e Técnico de Apoio à Infância; no 10º ano e 11º Artes do Espetáculo e Interpretação; e também Energias Renováveis”, indicou.

No presente ano letivo a Escola Dr. Manuel Fernandes oferece no 12º ano Artes do Espetáculo e Interpretação e Energias Renováveis, que está a fechar. “Durante uns anos vamos suspender este curso, tal como suspendemos o Apoio à Infância. Vamos abrindo e fechando cursos em função da procura”, explica Alcino Hermínio.

Já no 10º abriu Técnico de Soldadura e Artes do Espetáculo e Interpretação. “Agora apostámos na Soldadura porque percebemos que há muita procura no mercado e tínhamos capacidade instalada para colocar o curso a funcionar”. Para o diretor da Escola Dr. Manuel Fernandes um maior sucesso dos alunos na conclusão do secundário no Ensino Profissional deve-se também à existência de instalações e equipamentos adequados às necessidades das diferentes áreas.

Para concluir um curso profissional é necessário ainda a realização de um estágio. Na Secundária Manuel Fernandes trabalha-se de perto com as empresas. “Queremos apostar na ligação às empresas o mais cedo possível nos cursos profissionais. Não só no último ano, mas a partir do primeiro ano do curso”, ou seja, logo no 10º ano.

O diretor admite que o curso de Artes do Espetáculo e Interpretação é oferta da Manuel Fernandes “não porque haja procura de atores, mas por tratar-se de um nicho que a Comunidade Intermunicipal nos estudos que fez refere como sendo importante manter, para haver alguma diversidade na oferta”. A Escola Dr. Manuel Fernandes também aposta no ensino artístico especializado. “Tentamos diversificar: música, teatro, ciências…” e, sabe o mediotejo.net, haverá dança, integrando um projeto com quatro anos. “Há quatro anos aprovámos nos órgãos da Escola o desenvolvimento do ensino artístico especializado e o curso de dança ficou para mais tarde quando o curso de música já estivesse implantado e consolidado” confirmou Alcino Hermínio.

Apesar dos melhores resultados, o diretor da Escola Dr. Manuel Fernandes lamenta que o Ensino Profissional continue a ser visto como “um ensino de segunda, quer pelos alunos, quer pelos encarregados de educação”. Por isso, todos os anos “é muito difícil arranjar alunos para os cursos profissionais”, confessa. Na abordagem aos alunos do 9º ano “muito poucos optam pelo Ensino Profissional”. No entanto, “há cursos que em alguns anos têm uma grande procura. Este ano, por exemplo, Soldadura bateu todos os recordes”.

OURÉM, MAÇÃO E SARDOAL TAMBÉM EM DESTAQUE

No Médio Tejo, destaca-se também o Colégio de São Miguel, em Fátima (Ourém), em primeiro lugar do ranking de sucesso nas escolas secundárias (e em 28º no ranking geral), e a Escola Secundária de Mação, a segunda escola pública com melhores resultados nos exames de Português neste ciclo de ensino, a nível nacional.

O primeiro lugar obtido por este colégio diz respeito ao índice de sucesso nas escolas secundárias (públicas e privadas), avaliando os alunos que não chumbam no 10º e 11º ano e têm nota positiva nos dois exames do 12º ano. Obteve 63,9% de sucesso, quando a média de escolas semelhantes é de 44,1%, e conseguiu também uma subida substancial no ranking dos exames de secundário, passando do 39º lugar para o 28º, liderando assim escolas públicas e privadas, tanto ao nível do Médio Tejo como ao nível do seu distrito, Santarém.

A instituição tem 767 alunos e pertence à diocese de Leiria-Fátima, tendo aberto portas há 55 anos. Foi um dos colégios afetados pelo corte no financiamento em cerca de 50% das turmas de 7º e 10º ano, neste ano letivo. Após algumas polémicas em torno da atuação de anteriores diretores, tem atualmente uma nova direção, encabeçada pelo sociólogo Manuel Lourenço.

No ranking dos exames de História, o colégio de Fátima consegue também um resultado excelente, obtendo um 6º lugar nacional – o pódio foi conquistado pelo Colégio Moderno, de Lisboa.

Analisando apenas os exames de Português deste ciclo de ensino, surge em destaque a Escola Secundária de Mação, em 17º lugar a nível nacional (a segunda melhor escola pública do país, atrás da Escola Secundária de Castro de Aire). Este ranking é liderado pelo Colégio São João de Brito, em Lisboa.

A Escola Básica e Secundária Dra. Maria Judite Serrão Andrade, no Sardoal, obteve ainda um 8º lugar nacional nos resultados dos exames de Matemática Aplicada às Ciências Sociais (o 1º lugar pertence ao Colégio Luso-Francês, no Porto).

*Com Cláudia Gameiro e Patrícia Fonseca

RANKING GERAL DAS ESCOLAS DO MÉDIO TEJO

Escola Profissional    Concelho Posição Nacional
ES Manuel Fernandes Abrantes 1
ES Sta. Mª do Olival Tomar 64
Instituto Vaz Serra Sertã 140
B+S Pedro Ferreiro F. Zêzere 165
EP Ourém Ourém 186
EP Gustavo Eiffel Entroncamento 243

Fonte: Ministério da Educação (escolas com mais de 100 provas realizadas). Gráfico: mediotejo.net

      Escola Secundária     Concelho Posição Nacional
Colégio São Miguel Ourém 28
Centro de Estudos de Fátima Ourém 100
ES Artur Gonçalves Torres Novas 119
ES da Sertã Sertã 152
ES do Entroncamento Entroncamento 157
ES Maria Lamas Torres Novas 161
EB+S de Ourém Ourém 194
ES de Alcanena Alcanena 228
ES Manuel Fernandes Abrantes 234
ES Jácome Ratton Tomar 284
ES Solano de Abreu Abrantes 348

Fonte: Ministério da Educação (escolas com mais de 100 provas realizadas). Gráfico: mediotejo.net

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Entre na conversa

2 Comentários

  1. Fazendo fé no ranking publicado no Correio da Manhã, penso, salvo melhor opinião, que a noticia pubicada no mediotejo.net deve ser objeto de correção, atendendo a incorreções contantes na mesma.

    1. Caro João Patrício, os rankings são criados atendendo a vários parâmetros e é por isso que, nalguns casos, há escolas que surgem com classificações diferentes, consoante os dados analisados. No mediotejo.net, por exemplo, optámos por seguir a listagem nacional do Ministério da Educação, que considera todas as escolas do país em que tenham sido realizadas mais de 100 provas (isso mesmo está explicado nos nossos gráficos). Não sei a que dados se refere mas teremos todo o gosto em esclarecer alguma dúvida.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *