Miguel Carrinho é economista e o novo diretor da Águas do Ribatejo. Foto: AR

O até agora Diretor Administrativo e Financeiro das Águas do Ribatejo, Miguel Carrinho, foi eleito Diretor Geral da empresa intermunicipal, funções que passou a desempenhar a partir de 1 de abril.

Sucede no cargo a Moura de Campos, que se reforma e termina o seu percurso na empresa após mais de 40 anos de serviço.

O Conselho de Administração da Águas do Ribatejo, juntamente com os Presidentes dos sete Municípios que integram a empresa – Almeirim, Alpiarça, Benavente, Chamusca, Coruche, Salvaterra de Magos e Torres Novas –, não deixou de destacar o “importante papel” que Moura de Campos teve “na construção da AR que conhecemos hoje”.

Ao longo de mais de 13 anos, Moura de Campos “liderou uma equipa que, de raiz, foi capaz de tornar a AR na referência que hoje é, a nível regional, nacional e até internacional”, enaltece a empresa, que realça o voto de reconhecimento “pela qualidade do seu trabalho, empenho e dedicação ao projeto”.

Para lhe suceder no cargo, o Conselho de Administração procurou “encontrar uma solução que permitisse assegurar a estabilidade da empresa, nomeadamente, através da seleção de um responsável com competência reconhecida, que se identifique com os valores da empresa, que conheça as suas dinâmicas e que possa dar continuidade ao trabalho até então realizado”.

Estas qualidades foram encontradas em Miguel Carrinho, a quem a administração da empresa expressou votos de sucesso.

Alguns autarcas e dirigentes das Águas do Ribatejo. Foto: AR

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.