O deputado Hugo Costa, eleito na Assembleia da República pelo distrito de Santarém, participou a 5 de junho na audição feita ao Secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, no âmbito da Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, referindo que todos os cidadãos devem ficar devidamente esclarecidos sobre a legislação existente em matéria de baixa tensão nos municípios. Por este motivo, sugeriu à Comissão a organização de uma conferência sobre esta matéria.

Hugo Costa sublinhou que os vários Grupos Parlamentares têm vindo a ser questionados sobre a questão da distribuição da baixa tensão nos municípios, referindo que o Grupo Parlamentar do PS vai requerer, nesta comissão, a realização de um seminário ou conferência sobre o tema da baixa tensão nos municípios para garantir a total informação sobre este tema. “Julgamos que é, atualmente, o ponto crucial na área energética. É preciso informar para que os municípios tenham capacidade de responder a estes desafios”, disse.

Sublinhando o trabalho desenvolvido pelo Governo, nomeadamente a estabelecer importantes pontes com Espanha, França e Marrocos, Hugo Costa reportou-se ainda à questão do gás canalizado e do gás de garrafa GPL, recordando a proposta do Grupo Parlamentar do PS sobre a criação de uma tarifa solidária de gás, para esta matéria. “Da mesma forma que existe a Tarifa Social na Eletricidade – que chega hoje a cerca de 800 mil famílias – da mesma forma, e visto que este tipo de energia representa cerca de 70%  dos consumidores portugueses, entre eles os mais vulneráveis, devemos perceber qual o ponto de situação desta norma do Orçamento do estado”, disse.

O deputado do PS sublinhou ainda o esforço que o Governo tem feito no sentido de  vir a baixar o preço do gás natural e da baixa do preço da eletricidade, através das tarifas reguladas  – por meio da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos – e o trabalho que tem sido feito na garantia de potência mas também com a interruptabilidade.

Gisela Oliveira

Jornalista profissional há mais de 30 anos, passou por vários jornais diários nacionais, nomeadamente pelo 'Diário de Lisboa', 'Diário de Notícias' e 'A Capital'. Apaixonada pela profissão desde a adolescência, abraçou o jornalismo nas suas diversas áreas, desde o Desporto às Artes e Espetáculos, passando pela Política e pelos temas Internacionais. O jornalismo de proximidade surge agora no seu percurso.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.