Foto: Paulo Jorge de Sousa

Esta semana, um imprevisto levou-me a Tomar. O sol foi uma ajuda preciosa para contrariar o frio que já se fazia sentir. O rio Nabão estava bem vivo e cheio de reflexos das árvores do jardim.

Gosto de ouvir a água a correr na paisagem. Gosto de parar e ficar ali uns segundos, só a olhar e a ouvir o rio.

(Nota: Foi a 3 de janeiro de 2016 que foi publicada a minha primeira crónica fotográfica neste jornal. 7 anos ininterruptos de crónicas semanais. Esta crónica de hoje é a número 557. Muito obrigado a todos por me acompanharem nesta viagem.)

Fotografia: Tomar, 4 de janeiro de 2023.

Paulo Jorge de Sousa

Nasceu no Sardoal em 1964, e é licenciado em Fotografia. Fez o Curso de Fotojornalismo com Luíz Carvalho do jornal “Expresso” (Observatório de Imprensa). É formador de fotografia com Certificado de Aptidão Profissional (registado no IEFP). Faz fotografia de cena desde 1987, através do GETAS - Centro Cultural, do qual também foi dirigente e fotografou praticamente todos os espetáculos. Trabalha na Câmara Municipal de Sardoal desde 1986 e é, atualmente, Técnico Superior, editor fotográfico e fotógrafo do boletim de informação e cultura da autarquia “O Sardoal” e de toda a parte fotográfica do Município. É o fotógrafo oficial do Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal. Em 2009, foi distinguido pela rádio Antena Livre de Abrantes com o galardão “Cultura”, pelo seu percurso fotográfico. Conta com mais de meia centena de distinções nacionais e internacionais. Já participou em dezenas de exposições individuais e coletivas.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *