António Lopes (à esquerda) e António Simões. Constância, novembro de 2022 Foto: Paulo Jorge de Sousa

Em passeio por Constância encontrei o António de Oliveira Lopes e o António Simões, ambos de Linhaceira, Tomar. Reconheci imediatamente o António Lopes e ele a mim. Todos os anos participa na Festa de Nª Srª da Boa Viagem, na Bênção dos Barcos na companhia do outro António, o Simões, e todos os anos eu lhes tiro fotografias, como ele dizia.

Mas ninguém me conhece por esse nome, dizia António Lopes. Se puser “Diabo Alma”, assim sim, toda a gente vai ver logo quem sou eu. António Simões acompanhava a conversa a rir e a dizer que era assim mesmo.

São amigos desde há muito tempo e a pesca é uma forma de estar na vida de ambos. Estavam de volta de um pequeno barco de madeira a remos, construído por eles há cerca de dois anos. Estavam a aplicar um tratamento para ajudar a impermeabilizar a madeira, para durar mais tempo sem apodrecer.

O barco tinha em letras grandes NABÃO, por serem de Tomar, mas vinham para Constância porque nem o rio Nabão nem o rio Zêzere tinham condições para a pesca.

António Lopes tem 75 anos e esteve na Suíça 20 anos a trabalhar nas obras, e António Simões, de 64 anos, foi quadro na Renova, na área da eletricidade. E que bom que foi ouvir algumas das suas peripécias e aventuras à volta da pesca.

Paulo Jorge de Sousa

Nasceu no Sardoal em 1964, e é licenciado em Fotografia. Fez o Curso de Fotojornalismo com Luíz Carvalho do jornal “Expresso” (Observatório de Imprensa). É formador de fotografia com Certificado de Aptidão Profissional (registado no IEFP). Faz fotografia de cena desde 1987, através do GETAS - Centro Cultural, do qual também foi dirigente e fotografou praticamente todos os espetáculos. Trabalha na Câmara Municipal de Sardoal desde 1986 e é, atualmente, Técnico Superior, editor fotográfico e fotógrafo do boletim de informação e cultura da autarquia “O Sardoal” e de toda a parte fotográfica do Município. É o fotógrafo oficial do Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal. Em 2009, foi distinguido pela rádio Antena Livre de Abrantes com o galardão “Cultura”, pelo seu percurso fotográfico. Conta com mais de meia centena de distinções nacionais e internacionais. Já participou em dezenas de exposições individuais e coletivas.

Entre na conversa

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *