Praça da República, Sardoal, durante o Sermão do Encontro da Procissão dos Passos do Senhor, no final dos anos 80, ou início dos anos 90. Fotografia: Paulo Jorge de Sousa

Hoje é dia da Procissão dos Passos do Senhor, no Sardoal. E fui ao meu baú, aos finais dos anos 80 e/ou início dos 90, aos tempos em que me preparava com alguns rolos de película a preto e branco e saía para a rua para fotografar esta procissão.

Na altura, o ato de fotografar era diferente. Era olhar, aplicar os conhecimentos técnicos e esperar umas horas ou uns dias para ver o resultado, depois de umas horas de laboratório, na revelação das películas. Ao clicar no botão do obturador, não havia a possibilidade de se ver se a fotografia estava boa para poder repetir.

Se bem que a pandemia impediu a realização destas manifestações religiosas nos últimos dois anos, também foi a pandemia que fez acelerar o processo de digitalização de inúmeros negativos do meu arquivo fotográfico, que fazem parte da história recente do Sardoal.

Paulo Jorge de Sousa

Nasceu no Sardoal em 1964, e é licenciado em Fotografia. Fez o Curso de Fotojornalismo com Luíz Carvalho do jornal “Expresso” (Observatório de Imprensa). É formador de fotografia com Certificado de Aptidão Profissional (registado no IEFP). Faz fotografia de cena desde 1987, através do GETAS - Centro Cultural, do qual também foi dirigente e fotografou praticamente todos os espetáculos. Trabalha na Câmara Municipal de Sardoal desde 1986 e é, atualmente, Técnico Superior, editor fotográfico e fotógrafo do boletim de informação e cultura da autarquia “O Sardoal” e de toda a parte fotográfica do Município. É o fotógrafo oficial do Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal. Em 2009, foi distinguido pela rádio Antena Livre de Abrantes com o galardão “Cultura”, pelo seu percurso fotográfico. Conta com mais de meia centena de distinções nacionais e internacionais. Já participou em dezenas de exposições individuais e coletivas.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.