Esta pandemia que está instalada entre nós também tem reflexos na paisagem e deixa marcas nos locais por onde passamos habitualmente. Esta fotografia foi feita em Sardoal, no domingo passado, durante a proibição de circulação entre as 13 e as 5 horas, e retrata o chão, não pisado, de uma esplanada que normalmente estaria está cheia de gente.

Na ausência de pessoas, a natureza vai repondo a sua parte e aproveitando todos os sítios onde habitualmente não consegue chegar.

As esplanadas, embora algumas estejam a funcionar, estão longe da afluência de pessoas comparativamente aos anos anteriores.

*Fotografia: Esplanada do Restaurante/bar Quatro Talhas, Sardoal, a 22 de novembro.

Paulo Jorge de Sousa

Nasceu no Sardoal em 1964, e é licenciado em Fotografia. Fez o Curso de Fotojornalismo com Luíz Carvalho do jornal “Expresso” (Observatório de Imprensa). É formador de fotografia com Certificado de Aptidão Profissional (registado no IEFP). Faz fotografia de cena desde 1987, através do GETAS - Centro Cultural, do qual também foi dirigente e fotografou praticamente todos os espetáculos. Trabalha na Câmara Municipal de Sardoal desde 1986 e é, atualmente, Técnico Superior, editor fotográfico e fotógrafo do boletim de informação e cultura da autarquia “O Sardoal” e de toda a parte fotográfica do Município. É o fotógrafo oficial do Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal. Em 2009, foi distinguido pela rádio Antena Livre de Abrantes com o galardão “Cultura”, pelo seu percurso fotográfico. Conta com mais de meia centena de distinções nacionais e internacionais. Já participou em dezenas de exposições individuais e coletivas.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.