Rossio ao Sul do Tejo, junho de 2018 | Foto: Paulo Jorge de Sousa

Neste dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, uma fotografia que, para mim, simboliza e representa Portugal, o Portugal de dentro.

O país em que nos tornámos, longe das epopeias dos descobrimentos, longe dos enganos e desenganos de um discurso em nome da defesa dos símbolos da Pátria.

É também dia de reconhecimentos públicos de novas individualidades.

Pena é que, neste Portugal, não haja lugar para uma justiça independente do poder político, para uma ética e moral independente das pressões da economia e dos lobies nem para a compreensão de tantas manobras que apenas desafiam a nossa inteligência.

Este Portugal de dentro é o reflexo da incapacidade dos nossos governantes em gerir um país que juraram defender. É o retrato deles.

Paulo Jorge de Sousa

Nasceu no Sardoal em 1964, e é licenciado em Fotografia. Fez o Curso de Fotojornalismo com Luíz Carvalho do jornal “Expresso” (Observatório de Imprensa). É formador de fotografia com Certificado de Aptidão Profissional (registado no IEFP). Faz fotografia de cena desde 1987, através do GETAS - Centro Cultural, do qual também foi dirigente e fotografou praticamente todos os espetáculos. Trabalha na Câmara Municipal de Sardoal desde 1986 e é, atualmente, Técnico Superior, editor fotográfico e fotógrafo do boletim de informação e cultura da autarquia “O Sardoal” e de toda a parte fotográfica do Município. É o fotógrafo oficial do Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal. Em 2009, foi distinguido pela rádio Antena Livre de Abrantes com o galardão “Cultura”, pelo seu percurso fotográfico. Conta com mais de meia centena de distinções nacionais e internacionais. Já participou em dezenas de exposições individuais e coletivas.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.