A nova variante do coronavírus SARS-Cov-2 é mais contagiosa mas não está, para já, a causar doença grave à maioria dos infetados, por via da vacinação já realizada. Créditos: Unsplash

A situação pandémica no Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) tem estado estabilizada nas últimas semanas, com 5 a 6 doentes em Unidade de Cuidados Intensivos e duas dezenas em enfermaria, aqui com um ligeiro aumento na última semana. Segundo o presidente do conselho de administração do CHMT, Casimiro Ramos, 85% a 90% dos casos positivos ao vírus SARS CoV-2 que passam pelo laboratório do centro hospitalar são já da variante Ómicron e aos Cuidados Intensivos chegam sobretudo os não vacinados.

Portugal registou 39.570 novas infeções com o coronavírus SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas, um novo máximo desde o início da pandemia, e mais 14 mortes associadas à covid-19, indicam números divulgados pela Direção-Geral da Saúde (DGS). O ACES Médio Tejo registou 737 novos casos de infeção nas últimas 24 horas, dos quais 181 em Ourém, 122 em Abrantes, 113 em Torres Novas e 100 em Tomar.

ÁUDIO | CASIMIRO RAMOS, CONSELHO ADMINISTRAÇÃO CHMT

Os números foram revelados à margem da assinatura de um protocolo com o Hospital de Santarém para a partilha do Serviço de Nefrologia. Segundo Casimiro Ramos, o maior problema das últimas semanas tem sido a grande afluência às Urgências para repetir testes à covid-19 que deram positivo. Nesta situação, o responsável frisou que, em caso de doentes assintomáticos, estes não devem ir ao Hospital, até porque nesse cenário não será realizado um segundo teste.

O laboratório do CHMT tem estado a fazer testes para todas a região, incluindo lares, Câmaras Municipais e empresas, tendo conseguido isolar a variante Ómicron.

“Somos o único hospital do país a fazer essa avaliação através do Laboratório de Patologia Clínica”, vincou, constatando que se está a atingir a positividade a esta variante entre 85 a 90% dos casos. Muitos destes infetados não têm sintomas.

No que toca aos doentes covid, Casimiro Ramos adiantou que a situação tem estado “mais ou menos estabilizada nas últimas semanas”, com 5 a 6 doentes em UCI. Nas enfermarias tem ocorrido um ligeiro acréscimo, com cerca de duas dezenas de internados.

Segundo alertou Ana Vila Lobos, responsável do Serviço de Nefrologia, com alguma frequência há doentes internados com outras patologias que testam positivo à covid-19, estando assintomáticos, e o protocolo implica que sejam isolados em enfermarias covid.

A maioria dos internados em enfermaria tem a vacinação completa, incluindo a terceira dose, mas a maioria dos que estão em Cuidados Intensivos são não vacinados, referiu Casimiro Ramos.

Também presente na conferência de imprensa, a presidente do Hospital Distrital de Santarém, Ana Infante, referiu que naquela unidade há um misto de doentes vacinados e não vacinados, assim como com a variante Delta e Ómicron. O hospital não tem serviço de UCI, havendo 32 utentes covid em enfermaria, incluindo duas crianças.

Cláudia Gameiro

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *