Jardim do Museu dos Rios e Artes Marítimas, em Constância. Foto: MRAM

Para dar início a 2023, o Museu dos Rios e das Artes Marítimas, em Constância, escolheu um Prato de Faiança Ratinho, como ‘Peça do mês’ para estar em destaque numa das suas salas. ‘Ratinhos’ era uma expressão que denominava os trabalhadores rurais das Beiras, que migravam, sazonalmente, para o Alentejo e Ribatejo, na época das ceifas e que levavam os seus próprios utensílios para comer em família, nomeadamente o prato, evitando partilhá-lo com outras pessoas na hora da refeição.

Por isso, ‘Ratinho’, passou, também, a designar a faiança que traziam, considerada grosseira e de má qualidade, fabricada em oficinas populares de Coimbra, mas que, por ser barata, foi amplamente comercializada a partir de finais do século XVIII.

Estas peças de louça vidrada policromada eram decoradas a esponja e pincel e caracterizavam-se por formas ingénuas, como flores, penas de pavão e, mais tarde, figuras humanas típicas e animais.

O prato, grande, de forma circular, que está em destaque no Museu dos Rios e das Artes Marítimas, apresenta um motivo floral central colorido e encontra-se restaurado com 10 gatos, pedacinhos de arame que serviam para consertar louça partida.

A ‘Peça do mês’ está exposta numa das salas do museu, onde pode ser apreciada.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *