A 7ª Corrida de São Silvestre de Constância disputa-se este ano no dia 8 de dezembro. Foto arquivo: mediotejo.net

O espírito solidário vai estar em destaque uma vez mais em Constância, no próximo dia 8 de dezembro, com a realização da 7ª edição da São Silvestre Solidária, prova de atletismo que se realiza no Campo Militar de Santa Margarida e zona envolvente, com organização da Brigada Mecanizada e da autarquia, em parceria com as instituições sociais do concelho.

As inscrições estão a decorrer AQUI até ao 1 de dezembro mas a festa do desporto solidário está desde já assegurada, contando com ex-atleta Rosa Mota, a piloto Elisabete Jacinto e a jornalista Patrícia Matos como embaixadoras da edição deste ano.

Com muitas provas destinadas a todos os escalões etários e com muita animação e entretenimento para quem queira apenas ter um dia diferente em família, a base do evento vai estar centrada no pavilhão gimnodesportivo, local onde decorrem as atividades e que serve de base logística à prova e à recolha dos donativos (inscrição) e que devem constar de bens alimentares não perecíveis, material didático e escolar, tampinhas de plástico e artigos de higiene pessoal e de limpeza.

A prova principal terá um percurso com 8,8 km de distância, com partida e chegada no Campo Militar de Santa Margarida. Em simultâneo, realiza-se a Caminhada Solidária Constância – BrigMec, com 7,7 km. No evento solidário vão participar atletas em representação de clubes, coletividades, organizações populares, empresas e individuais, federados ou não federados.

A prova vai realizar-se no dia 8 de dezembro, uma quinta-feira (feriado nacional) a partir das 14:00, no Campo Militar de Santa Margarida, e o custo da inscrição são bens alimentares, roupas, brinquedos e outros, que revertem a favor da Santa Casa da Misericórdia – Loja Social, Associação Quatro Cantos do Cisne, Pipoca Beatriz e Associação de Deficientes das Forças Armadas.

Entrega de donativos na corrida São Silvestre Solidária. Foto: mediotejo.net

O evento inclui uma corrida de 8,8 km, uma caminhada de 7,7 km e provas para escalões jovens.

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Entre na conversa

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *