Preços dos combustíveis debatido na reunião de Constância. Foto arquivo: mediotejo.net

Perante o atual cenário de subida dos combustíveis, a vereadora da CDU na Câmara Municipal de Constância manifestou na última reunião de executivo preocupação com a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Constância (AHBVC). Já o presidente da autarquia, Sérgio Oliveira (PS), explanou que não recebeu qualquer pedido de ajuda por parte da associação humanitária e lembrou que a Câmara tem vindo a apoiar a AHBVC com um apoio mensal nos últimos dois anos devido ao contexto pandémico da Covid-19.

“Não posso deixar de manifestar a preocupação com as condições financeiras que vamos conhecendo relativamente à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Constância e se eventualmente já houve alguma manifestação da parte deles relativamente a este assunto”, disse a vereadora Manuela Arsénio (CDU), referindo-se à situação recente e recorrente do aumento do preço dos combustíveis, e alertando para a importância de não ficar comprometido o socorro às populações por parte dos bombeiros de Constância.

Questionado o presidente da autarquia sobre se teve algum contacto por parte da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Constância (AHBVC) nesse sentido, Sérgio Oliveira elucidou não ter recebido nenhuma abordagem por parte da associação humanitária e admite que o socorro às populações não estará comprometido.

Confessando que a questão dos combustíveis “preocupa-nos a todos” e vai ter impacto “quer nas nossas vidas particulares quer também no que é a gestão da Câmara”, o edil lembrou no entanto os apoios que a autarquia tem vindo a dar à AHBVC, nomeadamente nos últimos anos no contexto pandémico da Covid-19.

“Nestes últimos dois anos de Covid, a AHBVC está a ter um apoio mensal da Câmara de 8 mil euros, além da comparticipação de 50% das duas equipas de intervenção permanente e do pagamento da água e da luz, portanto é um apoio considerável que a Câmara tem dado à associação humanitária”, disse.

O autarca adiantou ainda que, em consonância com a AHBVC, houve até a possibilidade “de constituir uma terceira equipa de intervenção permanente no concelho e a Câmara Municipal assumiu o compromisso de comparticipar com mais 50% essa equipa. Demos o parecer favorável e aguardamos que a tutela aprove essa terceira equipa”, referiu.

“Ao constituirmos esta terceira equipa, a Câmara Municipal assegurará a o pagamento das despesas de 15 bombeiros voluntários (salários) na nossa corporação e a outra metade será assegurada a pela autoridade nacional. Portanto, mensalmente, só nestes custos, a Câmara apoiará 7.500 mensais para as Equipas de Intervenção Permanente, para além de água, eletricidade”, acrescentou o presidente constanciense, que concluiu afirmando que a Câmara “não pode ir muito mais além do que este apoio que tem dado”.

Ana Rita Cristóvão

Abrantina com uma costela maçaense, rumou a Lisboa para se formar em Jornalismo. Foi aí que descobriu a rádio e a magia de contar histórias ao ouvido. Acredita que com mais compreensão, abraços e chocolate o mundo seria um lugar mais feliz.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.