Biblioteca itinerante (Foto: DR)

“Refletir sobre o papel das Bibliotecas Itinerantes na recolha, preservação e divulgação do património cultural imaterial” é o objetivo de uma mesa-redonda a realizar no dia 12 de maio, sábado, às 15h00, na Casa-Memória de Camões, em Constância.

Trata-se de uma iniciativa do Município de Constância em parceria com a Associação para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial.

Para falar sobre “As Bibliotecas Itinerantes em Portugal e a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial. Algumas metodologias de recolha.” Conta-se com a presença de um grupo de especialistas: Gorete Afonso, do Município de Montalegre, Nuno Marçal, do Município de Proença-a- Nova, Cidália Pacheco, do Município de S. Brás de Alportel e Maria do Rosário Pestana, da Universidade de Aveiro, e será moderado por Luís Marques, Presidente da Associação Portuguesa para a Salvaguarda do Património Imaterial

A organização lembra que as Bibliotecas Itinerantes, “ao percorrerem as localidades mais distantes e geralmente mais envelhecidas dos concelhos, tornam-se instrumentos únicos na recolha de memórias, de histórias de vida, de tradições, de costumes, etc, contributos valiosos para a elaboração da história local e para a afirmação e valorização da identidade cultural de uma comunidade ou concelho”.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.