Combustíveis. Créditos: Pixabay

A moção designada ‘Alteração da Legislação relativa aos beneficiários de Gasóleo Verde’, subscrita e apresentada pela bancada da Coligação Democrática Unitária (CDU), foi aprovada por maioria na Assembleia Municipal de Constância, com dez abstenções da bancada do Partido Socialista.

Na moção da CDU aprovou-se: “Expressar a solidariedade à AHBV do Concelho, à Federação dos Bombeiros do Distrito e à Liga dos Bombeiros Portugueses; Apelar ao Governo e aos Grupos Parlamentares e Deputados únicos que legislem, rapidamente para que os Bombeiros tenham finalmente acesso a gasóleo verde; e Recomendar ao Ministério da Saúde para cobrir custos efetivos dos serviços protocolados e prestados pelos Corpos de Bombeiros no âmbito da Emergência Pré Hospitalar e transporte de doentes”.

A CDU entende que os 1500 euros que o governo anunciou como apoio a cada Associação Humanitária de Bombeiros (AHBV) a título de adiantamento da compensação transitória dos encargos com combustíveis “fica muito aquém do que os bombeiros necessitam e merecem”.

Defende por isso a implementação de medidas “num justo regime de financiamento das AHBV” nomeadamente “a criação de um modelo de bonificação permanente dos combustíveis utilizados no exercício da missão dos corpos de bombeiros, vulgarmente designado por gasóleo verde”.

Nota ainda a CDU que “os Corpos de Bombeiros mantidos por Associações Humanitárias de Bombeiros (AHBV) prestam anualmente mais de 1 milhão e meio de serviços em todo o território nacional. Aquelas AHBV, em consequência do enquadramento legal do financiamento e das sucessivas sub orçamentações nos Orçamentos de Estado e das condições em que prestam os serviços no âmbito da Emergência Pré-Hospitalar e transporte de doentes, há muito que vivem dificuldades. Nos últimos anos, com a pandemia, foram agravadas as dificuldades económicas. Os aumentos dos preços dos preços dos combustíveis, para muitas AHBV já está a pôr em causa o socorro e a emergência que asseguram às populações e o mesmo poderá acontecer às restantes AHBV”.

Uma vez aprovada a moção, na Assembleia Municipal realizada a 29 de abril, foi enviada para o primeiro-ministro, ministro da Economia, ministro da Administração Interna, ministra da Saúde, Liga dos Bombeiros Portugueses, Federação de Bombeiros do distrito de Santarém, Direções e Comandantes das Associações Humanitárias dos Bombeiros Voluntários do Distrito, e para a Comunicação Social.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Entre na conversa

1 Comentário

  1. Será oportuno lembrar que a Moção foi aprovada com 8 votos a favor (5 da CDU e 3 do PS) e 10 abstenções (PS). Não deixa de ser estranho, a não ser a “partidarite” que em nada beneficia seja quem for, que nas 10 abstenções estão incluídos os 3 presidentes de junta de freguesia, um dos quais Bombeiro profissional, e ainda uma outra bombeira.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.