Foto: Sítio – Companhia da Chanca (Portugal) Teatro-Estúdio António Assunção, Almada. © Luís Aniceto / Vítor Cid

É no âmbito da programação cultural em rede do Médio Tejo – Caminhos das Pessoas, que “O Sítio”, uma peça de teatro sobre o abandono do Interior, vai decorrer em dose dupla no concelho de Tomar, no Sport Club Operário de Cem Soldos e na Associação Cultural e Desportiva de São Silvestre, nos dias 27 e 28 de maio (21h30), respetivamente. As entradas são livres.

A peça de teatro físico, mudo, pretende refletir sobre o abandono do Interior, pelo que tenta espelhar como é a vida em alguns dos locais mais desertificados e envelhecidos do país.

“Um casal de idosos que vive numa aldeia no Interior de Portugal recebe um postal anunciando o nascimento do seu neto. Os dois decidem juntar numa encomenda algumas prendas para enviar para o neto que está no estrangeiro e partem numa longa caminhada. Com o embrulho debaixo do braço e uma doce fúria de viver, eles vão experimentar uma série de pequenas e ternas aventuras, partilhar memórias e até apagar um incêndio. No final da epopeia, conseguem chegar… à estação de correios da vila mais próxima!”, lê-se na sinopse do espetáculo da Companhia da Chanca.

As sessões contam ainda com um workshop com práticas relacionadas sobre as problemáticas da vivência em locais de baixa densidade populacional, uma conversa com os autores da peça e um lanche/jantar convívio, onde o grupo local também participa. O objetivo é trocar opiniões e experiências sobre o espetáculo, de uma forma mais informal.

O espetáculo insere-se no âmbito da programação cultural em rede do Médio Tejo – Caminhos das Pessoas, uma iniciativa dos Caminhos Médio Tejo em parceria com o município de Tomar.

Rafael Ascensão

Licenciado em Ciências da Comunicação e mestre em Jornalismo. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.