Terreno onde vai ser construído o novo Centro de Saúde. Foto: mediotejo.net

O prazo de um ano para execução da empreitada do novo centro de saúde da Chamusca está suspenso, informou o Presidente da Câmara em reunião do executivo. A suspensão prende-se com a necessidade de mudar a linha aérea de média tensão para subterrânea, tarefa que já foi adjudicada e da qual depende o início dos trabalhos no terreno.

A autarquia assumiu essa despesa a rondar os 17 mil euros, apesar de a obra da nova Unidade de Saúde ser da responsabilidade da Administração Regional de Saúde (ARS) de Lisboa e Vale do Tejo.

Foi a vereadora Gisela Matias (CDU) que levantou a questão, perguntando se a obra estava parada e qual era o ponto da situação. Quanto à empreitada, essa está adjudicada à empresa Ecoedifica por 1 milhão e 267 mil euros + IVA.

Na reunião de Câmara, Paulo Queimado (PS) deu conta da sua preocupação quanto ao cumprimento dos prazos, preocupação que é partilhada pela ARSLVT.

Nesta altura estão a decorrer trabalhos preparatórios no estaleiro da empresa, enquanto no terreno a obra está suspensa, sendo que o objetivo é que “avance o mais rapidamente possível”.

Notícia relacionada

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.