Bombeiros da Chamusca (2019). Foto: DR

A Câmara Municipal da Chamusca decidiu transferir 199.300 euros para a Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários através de Protocolos de Colaboração Administrativa e Financeira para o ano 2022. A decisão foi tomada por unanimidade (com a ausência do vereador Tiago Prestes, PSD-CDS) na reunião do dia 25 de janeiro.

Coube ao vereador do pelouro, Rui Ferreira (PS), explicar as propostas que vêm na sequência dos apoios em anos anteriores. A diferença é que este ano há reforço de verbas e o apoio é discriminado por áreas.

Para o funcionamento do setor operacional, onde não se incluem os voluntários, foi atribuída uma verba de 60 mil euros, mais 3 mil do que no ano anterior.

Em relação à cedência do gabinete dos Serviços de Proteção Civil, a autarquia assume um apoio de 4.200 euros por ano a que corresponde uma renda mensal de 350 euros, mais 100 euros do que em anos anteriores.

A Equipa de Intervenção Permanente (EIP) foi contemplada com 38 mil euros destinados a este grupo de efetivos que funciona aos domingos e feriados, sendo que 46 mil euros foram atribuídos ao Posto de Emergência Médica, anteriormente designado como apoio ao grupo de proteção civil.

Para a Força mínima de Intervenção operacional (7 elementos durante 24 horas) foi definido um apoio de 23.100 euros e, ao Dispositivo Especial de Combate aos Incêndios Rurais (DECIR), a verba atribuída é de 28 mil euros.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.