Presidente da Câmara durante a apresentação dos projetos da 1ª edição. Foto: CMC

O Município da Chamusca está a promover a segunda edição do Programa Municipal de Formação e Ocupação em Contexto de Trabalho, projeto que visa “contribuir para a formação humana, cívica e académica dos jovens, residentes no concelho, que se encontrem em situação de desemprego ou à procura do primeiro emprego”.

Em nota de imprensa, a autarquia dá conta que os candidatos devem possuir a habilitação académica de Licenciatura, Mestrado ou Doutoramento (níveis 6 a 8) ou Curso Técnico Profissional (nível 5).

Com candidaturas abertas até 31 de janeiro, os candidatos são desafiados a apresentar um projeto inovador e pertinente para a Chamusca, que deverá ser desenvolvido e implementado durante a frequência do programa, com a duração de um ano, durante o qual o Município atribui aos participantes uma bolsa mensal. 

O programa decorrerá em serviços ou equipamentos do concelho da Chamusca, nas respetivas áreas de atividade, podendo ainda decorrer em Juntas de Freguesia, Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) ou em Associações sem fins lucrativos com sede no concelho da Chamusca. 

As candidaturas devem ser submetidas até ao próximo dia 31 de janeiro, mediante o preenchimento do formulário disponível para o efeito em cm-chamusca.pt. O mesmo deve ser remetido para estagio-pmfoct@cm-chamusca.pt, juntamente com toda a documentação exigida no Regulamento.  

Na 1ª edição do Programa Municipal de Formação e Ocupação em Contexto de Trabalho foram desenvolvidos seis projetos inovadores nas áreas do Turismo, Zootecnia e Biodiversidade, Intergeracionalidade, Igualdade de género e informática.  

O trabalho desenvolvido pelos jovens ao longo da frequência no Programa resultou num Seminário de Empreendedorismo, que teve lugar em novembro de 2021, no Cineteatro da Chamusca, onde foi feita a discussão publica de cada um dos projetos.  

Segundo a vice-presidente da Câmara da Chamusca, Cláudia Moreira, “os jovens são os agentes transformadores da nossa comunidade”, e por isso, este Programa surge como uma oportunidade para os jovens do concelho adquirirem e desenvolverem competências e simultaneamente colocarem em prática os seus ideais para benefício do território. 

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.