Empresas, Autarquia, instituições e cidadãos apoiam os refugiados. Foto: DR

O município da Chamusca recebeu no dia 15 de março 48 refugiados provenientes da Ucrânia através do Alto Comissariado para as Migrações e da Segurança Social.

Sãos 28 mulheres, estando uma delas grávida, 10 homens, um bebé com dois meses e nove crianças (quatro com mais de 10 anos e cinco com idades inferior a 10), que ficam instalados temporariamente no Edifício São Francisco, na vila da Chamusca.

O Edifício foi preparado pela Autarquia para receber os 48 refugiados de guerra e está equipado com 48 camas individuais, cozinha, casas de banho e salas de convívio.

A operação de recolha dos refugiados em Lisboa, transporte e instalação no Edifício São Francisco, na Chamusca, decorreu em menos de 24 horas, depois de a autarquia ter manifestado disponibilidade para os acolher e integrar.

“A operação decorreu com sucesso, numa articulação conjunta com o ACM e os serviços de acolhimento da Câmara Municipal de Lisboa. Todo o empenho dos nossos técnicos de Ação Social, Proteção Civil, Educação, Gabinete de Inserção Profissional, CLDS 4G e outros têm sido fundamentais para o sucesso da operação”, disse o Presidente da Câmara.

Paulo Queimado agradeceu também à comunidade Ucraniana no concelho pela ajuda no acolhimento e tradução, através de Aliona, Natalia Kuso e Volodymyr Kuso. Os agradecimentos estendem-se a empresas que deram alguns bens e a todos os voluntários.

Nas Juntas de Freguesia e na Loja Solidária prossegue a recolha de alimentos e roupas também para apoio direto a este grupo de refugiados.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Entre na conversa

1 Comentário

  1. A grávida preocupa-me, e digam se o bebé com 2 meses veio sem mãe.
    Gostaria de ajudar ou com o conforto da M casa q seria bom para falar com sr. presidente
    Podem dizer com está a grávida e o bebé.
    Amanhã vou visitar os q chegaram a Oeiras, porque chocou nos ao ver uma grávida e despedir se do marido e ver se sozinha. Tenho 2 netos um com 2 meses mas ninguém tira o lugar de ninguém. Aguardo, mto obg. Josefina

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.