Um homem de 46 anos, residente na Chamusca, morreu na manhã desta segunda feira na sequência de um acidente de trabalho nas oficinas da Resitejo, no Eco-Parque do Relvão.

Segundo apurámos junto do Presidente do Conselho de Administração da Resitejo, a vítima, mecânico de profissão, estaria no fosso a reparar uma viatura pesada quando o sistema pneumático dos travões rebentou.

Paulo Queimado refere que ainda estão a ser apuradas as circunstâncias em que ocorreu o acidente, estando no local uma equipa da ACT – Autoridade para as Condições de Trabalho.

Joel Marques, Diretor-Geral da Resitejo, refere que “não é nada normal acontecer isto”, mostrando-se surpreendido com o rebentamento do pneumático com a viatura parada. Naquele setor da oficina foi suspensa a laboração e todos os funcionários foram mandados para casa.

De acordo com os dados do CDOS, o alerta foi dado pouco depois das 8h50, deslocando-se para o local a SIV de Torres Novas, a VMER do hospital de Santarém, uma viatura dos Bombeiros da Chamusca, com dois elementos, num total de oito elementos, além da GNR.

Quando a equipa de socorro chegou ao local, a vítima já estava em paragem cardiorrespiratória.

Segundo o site da Proteção Civil, a saída da viatura para a remoção do cadáver ocorreu às 10h05.

Luís Miguel Garrido era solteiro e residia na Chamusca.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.