Reunião da Câmara Municipal da Chamusca (Foto: mediotejo.net)

Na reunião do dia 17, a Câmara Municipal da Chamusca, liderada pelo socialista Paulo Queimado, aprovou por maioria, apenas com a abstenção da vereadora da CDU, as contas relativas a 2017.

Na apresentação do documento, o Presidente Paulo Queimado (PS) realçou a redução do total da dívida em cerca de 10 milhões de euros, falando em “bons indicadores”, reflexo da uma gestão financeira “de modo a não ser preciso recorrer à banca”.

Um dos números que sublinhou foi o prazo médio de pagamentos aos fornecedores que passou de 367 para 4 dias.

Também a vice-Presidente Cláudia Moreira demonstrou o seu contentamento pelos resultados financeiros de 2017 referindo-se à “minúcia na gestão” e “à preciosa ajuda dos funcionários”. “Estamos no bom caminho”, concluiu.

O Município tem vindo a cumprir os compromissos assumidos com o empréstimo do PREDE, contraído em 2009 no valor de um milhão de euros por um prazo de 10 anos, e com o empréstimo do PAEL contraído em 2012 no valor aproximado de 4 milhões 324 mil euros por um prazo de 8 anos.

No período de 2010 a 2017 os custos com pessoal tiveram um decréscimo de 9,11%, lê-se no documento.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *