Frontão da entrada do cemitério de Constância. Foto: DR

A Câmara Municipal de Constância vai recorrer à banca no sentido de executar uma empreitada de ampliação do cemitério e requalificação do largo exterior, à volta da antiga Escola Primária de Constância.

O presidente Sérgio Oliveira considerou o projeto “estruturante” e “essencial” para o concelho e, uma vez que o limite de endividamento do município ultrapassa, atualmente, um milhão de euros, o empréstimo cumpre com esses limites. Assim, a contratação de um empréstimo bancário de 215 mil euros foi aprovado na passada quarta-feira, 20 de julho, por unanimidade, em reunião de Câmara de Constância.

Reunião de Câmara Municipal de Constância. Créditos: mediotejo.net

No entanto, e em resposta ao vereador da CDU, Rui Ferreira (naquele dia em substituição de Manuela Arsénio), sublinhou que a autarquia só deve recorrer à banca para “obras estruturantes e não recorrer por tudo e mais alguma coisa. Ao mesmo tempo deve ser feito um esforço para conseguir fazer obras sem ter de recorrer à banca”.

ÁUDIO | Presidente da Câmara Municipal de Constância, Sérgio Oliveira

Rui Ferreira interveio para considerar a comparticipação da CCDR, de 62 mil euros, “muito pouco”, dizendo também que os fundos comunitários devem ser aproveitados “ao máximo” e que uma Câmara Municipal recorrer a empréstimos bancários, “é um elemento de gestão” e “é normal que se recorra a empréstimos”, recordando as críticas do Partido Socialista ao recurso à banca, quando era oposição e a CDU liderava a autarquia de Constância.

ÁUDIO | Vereador eleito pela CDU, Rui Ferreira

Sérgio Oliveira assegurou que “nunca foi contra os empréstimos”, ou seja, não mudou de posição, sublinhando, no entanto, que os empréstimos bancários “limitam a gestão que virá a seguir”.

Relativamente ao valor do financiamento ser de 62 mil euros, o presidente lembrou que “o Município de Constância no âmbito do PARU teve um bolo de 500 mil euros”, não negociado pela atual maioria socialista mas pelo anterior executivo. E estes 62 mil euros “são migalhas que sobraram desse dinheiro e de acordo com a distribuição proporcional feita na altura”, ou seja, 62 mil euros “encaixados” agora neste projeto.

Por seu lado, o vereador Alexandre Marques (PS) explicou que a CCDR “só comparticipa o arranjo dos exteriores e não a ampliação do cemitério”.

ÁUDIO | Presidente da Câmara Municipal de Constância, Sérgio Oliveira

Segundo o presidente, o empréstimo de 215 mil euros terá um prazo de pagamento a dez anos, consubstanciando-se num encargo anual de 21 mil euros para o Município.

Justifica, ainda, a necessidade de contrair o empréstimo com a empreitada de acessos ao Centro Escolar de Montalvo, num investimento de 300 mil euros, valor que sai totalmente do orçamento municipal, e neste momento em execução.

A ampliação do cemitério de Constância prende-se com o facto de atualmente estar “praticamente lotado”, prevendo-se a criação de mais 168 sepulturas. Já no que respeita ao arranjo do largo exterior ao cemitério, à volta da antiga Escola Primária de Constância, a intervenção contará com a criação de uma zona de estacionamento, mobiliário urbano e espaços verdes, adiantou o edil em janeiro último, aquando da deliberação para o concurso público das empreitadas.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.