António Filipe, deputado do PCP, volta a ser o candidato por Santarém nas legislativas de 2022. Foto: Diana Quintela/ Global Imagens

O dirigente comunista António Filipe disse em Benavente ser “de enorme gravidade” o presidente social-democrata, Rui Rio, considerar governar com o apoio do Chega, partido que classificou como “uma aberração em democracia”.

“Ouvimos Rui Rio dizer que não, não quer formar governo com o partido da extrema-direita, mas em boa verdade não se incomoda se puder governar com o seu apoio”, disse o cabeça de lista da CDU pelo círculo eleitoral de Santarém na terça-feira, durante um comício em Samora Correia, concelho de Benavente.

António Filipe sustentou que “estas afirmações são de enorme gravidade” e que demonstram duas coisas: “Rui Rio e o PSD estão a normalizar um partido que é uma aberração em democracia. Um partido racista, xenófobo, saudosista do fascismo, que faz da campanha eleitoral um palco para o discurso do ódio, que quer semear a divisão entre os mais pobres para gáudio dos mais ricos”.

O dirigente comunista sustentou que “não se pode normalizar esta força política em nome da democracia”.

“Se pudesse ter aspirações a formar Governo”, prosseguiu o deputado comunista, “tudo faria para poder obter o apoio da extrema-direita e isso é que extraordinariamente grave”.

Por isso, o membro do Comité Central do PCP apelou ao voto na CDU, advogando que é a única força política capaz de impedir o regresso da direita ao poder.

O dirigente comunista atentou que haverá “forças políticas que farão o que puderem para que a CDU não consiga eleger deputados”.

“Mas essas ambições não nos intimidam, não nos assustam”, completou.

O deputado acusou os quatro deputados do PS e os três eleitos do PSD por Santarém de prometerem “aquilo que acham que as pessoas querem ouvir para terem o seu voto”, mas depois “traem as suas promessas”.

“Os deputados da CDU só têm uma cara”, vincou.

Em 2019, a CDU obteve 15.662 votos em Santarém, ou seja, 7,57% do total de votantes neste círculo eleitoral (206.918), e elegeu um deputado, António Filipe.

Agência Lusa

Agência de Notícias de Portugal

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.