Associação de Solidariedade Social Pró-Cultura Professor Silva Leitão, em Bemposta. Créditos: Associação Professor Silva Leitão

A Associação de Solidariedade Social Pró-Cultura Professor Silva Leitão, em Bemposta (Abrantes), reúne em Assembleia Geral Ordinária no dia 28 de janeiro, às 18h00, na sua sede social, com um único ponto na Ordem de Trabalhos: a eleição dos órgãos sociais para o quadriénio 2023/2026.

José Maria Gomes, de 75 anos, é o atual presidente da direção mas não se recandidata. “A decisão é definitiva”, garantiu ao nosso jornal. “Mesmo que não surja qualquer lista” aos órgãos associativos, acrescentou.

A decisão prende-se com o facto de “estar há muitos anos à frente da Associação”, explicou. Na verdade está ligado à Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) há 20 anos, desde que iniciou atividade em 2003, sendo que vai no seu terceiro mandato como presidente.

Quanto a contas, exclui quaisquer dificuldades financeiras ou diretivas, mas sendo data de eleições optou por não se recandidatar. Além disso, deu conta de “um projeto para um lar” da Associação, entretanto “aprovado pela Câmara” de Abrantes, com candidatura ao Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) aguardando apenas pela abertura de aviso, para que a candidatura seja submetida e eventualmente aprovada. “E se o projeto for aprovado, a Associação terá já uma nova direção”, justificou.

As listas aos órgãos associativos deverão dar entrada na sede da Associação até ao dia 23 de janeiro. Se nenhuma lista for apresentada, a Mesa da Assembleia Geral dará mais 15 dias e convocará nova Assembleia Geral. Se também, nesse momento, nenhuma lista concorrer aos órgãos sociais “terá de ser o presidente da Mesa da Assembleia a resolver, no caso Joaquim Varela”, conclui.

A Associação de Solidariedade Social Pró-Cultura Professor Silva Leitão é uma pessoa coletiva, sem fins lucrativos que se rege pelo estatuto das IPSS’s, sendo por inerência uma associação de utilidade publica.

Fundada em julho de 1999, iniciou a sua atividade em 2003. Criada por vontade das filhas do professor Silva Leitão, as quais doaram o terreno (onde o pai abriu a primeira escola) e financiaram o projeto.

A Associação tem como objetivo, dar resposta às necessidades das pessoas idosas, em situação de risco ou de perda de independência por período temporário ou permanente, para que se mantenham no seu meio familiar e social, bem com a todos os indivíduos ou famílias que se encontrem em situação de carência ou disfunção familiar/social.

Desta forma, presta serviços em equipamento através das respostas sociais de Centro de Dia e serviços individualizados no domicilio dos utentes (Serviço de Apoio Domiciliário) e também apoio aos mais carenciados através da distribuição de alimentos.

Neste momento a Associação Professor Silva Leitão conta com cerca de uma dezenas de trabalhadores.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *