Trata-se de um espaço concebido para despertar a engenhosidade, a destreza e a criatividade das crianças. Créditos: CMPS

O autocarro itinerante Creactivity está em Ponte de Sor. Parece um simples autocarro mas trata-se de um espaço concebido para despertar a engenhosidade, a destreza e a criatividade das crianças.

Este projeto tem por objetivo fomentar a conceção de soluções originais para problemas simples. Os alunos participam em workshops com materiais do quotidiano e com ferramentas de baixa e alta tecnologia para dar vida às suas próprias ideias.

Autocarro itinerante Creactivity . Créditos: CMPS

O espaço dispõe de várias áreas para implementar diferentes habilidades: a zona da Mecânica, com espaços de engrenagens, máquinas, berlindes e paintballs; a zona do Vento, com tubos de vento; a zona da Eletricidade, e a zona da Luz, com o sistema stopmotion.

Caracterizando-se pela sua componente lúdica e colaborativa, o espaço permite a pesquisa com diversos materiais, o planeamento, a criação de novos desenhos, o recurso a materiais comuns e a utilização de novas funções, através de propostas abertas e interdisciplinares que englobam a ciência, a tecnologia, a engenharia, a arte e a matemática.

Outras competências mais transversais podem igualmente ser trabalhadas, como os hábitos de aprendizagem cooperativa, o autoconhecimento para a aprendizagem e a criação e realização de projetos.

Este projeto itinerante e pedagógico, patrocinado pelo BPI e Fundação “la Caixa”, começou em 2019.

Pode visitá-lo, até esta terça-feira, das 9h30 às13h30 e das15h00 às18h30 junto ao Estádio Municipal de Ponte de Sor. A entrada é gratuita.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *