Chamusca acolhe refugiados da Ucrânia e tem 24 adultos e 10 crianças instaladas no concelho. Foto: DR

Os 24 refugiados ucranianos adultos que se encontram alojados temporariamente, desde 15 de março, no edifício São Francisco na Chamusca, têm recusado propostas de trabalho e até de habitação, segundo a vice-presidente da Câmara.

Cláudia Moreira falava na reunião de Câmara no dia 7 de junho em jeito de balanço da estadia dos refugiados ucranianos acolhidos no concelho. Nesta altura estão alojados naquelas instalações 24 adultos e 10 crianças, todos da primeira fase de acolhimento.

ÁUDIO | CLÁUDIA MOREIRA, VICE PRESIDENTE CM CHAMUSCA:

A autarca disse que tem havido oportunidades de trabalho nas obras do centro de saúde e da escola-sede, por exemplo, que têm sido recusadas pelos refugiados. O mesmo acontece com propostas de alojamento.

O presidente da Câmara, Paulo Queimado, sugeriu como solução apontar uma data para encerramento da estrutura temporária de acolhimento e a definição de regras como forma de pressionar os refugiados a procurarem soluções de trabalho e de alojamento de maneira a deixarem de estar dependentes do apoio da autarquia.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.