A equipa orientada por Marco Ramos, apesar de derrotada nas quatro linhas na final do play-off com o Fofó por 1-0,, consegue mesmo a manutenção na Liga BPI, depois de uma época tão dura quanto desgastante e competitiva.

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) já havia alertado, logo após o jogo da final entre Ouriense e Futebol Benfica, que o Fofó, vencedor deste jogo, “é promovido à Liga BPI desde que tenha obtido a licença necessária para a sua participação nesta prova”, o que se veio a confirmar não ter sido o caso, como também já reconheceu o clube lisboeta na sua página oficial. Com esta decisão na secretaria, o Ouriense, um histórico do futebol feminino, mantém-se na primeira divisão nacional, ocupando a vaga que seria do Futebol Benfica, situação confirmada ao mediotejo.net por José luís Ferreira, presidente do Ouriense.

José Luís Ferreira, presidente do CA Ouriense. Foto: mediotejo.net

ÁUDIO | JOSÉ LUÍS, PRESIDENTE DA DIREÇÃO DO CA OURIENSE:

Jogo muito disputado entre Ouriense e Futebol Benfica decidido num lance de bola parada. Foto: Pedro Pereira/mediotejo.net

A temporada do Futebol Benfica termina assim com um sabor muito amargo. Depois de ter conquistado a promoção dentro das quatro linhas, ao bater o Atlético Ouriense no play-off (1-0) em jogo disputado em Rio Maior o emblema lisboeta não conseguiu o regresso ao principal escalão devido a irregularidades no licenciamento, situação que o clube confirmou.

“Não estando, assim, ao alcance da direção qualquer outro procedimento ou diligência que inverta esta decisão final e lamentando este resultado, não pode deixar de enaltecer todo o empenho, esforço, dedicação e amor ao clube das nossas atletas da Equipa Sénior Feminina e respetiva Equipa Técnica, bem como toda a massa associativa que as apoiou durante a época”, escreveu o Fofó, num comunicado assinado pelo presidente Vasco Fernandes.

O golo do Futebol Benfica foi obtido aos 90+1 e ditou a derrota do Ouriense na final do play-off da Liga BPI. Foto: Pedro Pereira/mediotejo.net

A formação de Ourém chegou ao jogo decisivo depois de eliminar o GD Estoril Praia na eliminatória anterior, enquanto o Fofó disputou a final após derrotar o Racing Power FC.

O SF Damaiense, como vencedor do Campeonato Nacional feminino da II Divisão, já se havia apurado diretamente para a Liga BPI, equipa a que se junta agora o CA Ouriense. Na próxima época, a Liga BPI vai ser disputada por 12 clubes, numa única série a duas voltas, com o último classificado a descer diretamente à segunda divisão nacional

Derrota na final da Liga BPI muita dura para as atletas do Ouriense mas o clube acaba por assegurar a permanência Foto: Pedro Pereira/mediotejo.net

Liga BPI – Estádio Municipal de Rio Maior – Final  play-off
Atlético Clube Ouriense 0 Clube Futebol Benfica 1

Entrada em campo das equipas. Foto: Pedro Pereira/mediotejo.net

Ficha de jogo:

Clube Atlético Ouriense:

Atlético Clube Ouriense. Foto: Pedro Pereira/mediotejo.net

Annie Ulliac, Raíza Silva, Sara Brasil, Carolina Pocinho, Maria Baleia,, Shein Menglu, Ana Sampaio, Jéssica Pastilha, Ana Pinto, Sónia Costa e Mafalda Barboz.

Suplentes: Ana Alves, Victoria Shimkus, Jéssica Gonçalves, Cristina Ferreira, Ana Ferreira, Juliana Domingues e Laura Pires.

Clube Futebol Benfica:

Clube Futebol Benfica. Foto: Pedro Pereira/mediotejo.net

Jamila Marreiros, Sara Granja, Joana Carvalho, Patrícia Meneses, Andreia Silva, Maria Matos, Malany Fortes, Ana Barreto, Beatriz Oliveira, Mariah Young e Inês Salvador.

Suplentes: Katia Duarte, Mariana Fon, Marta Bernardo, Mariana Duarte, Adreia Silva e Inês Pinto.

Fotogaleria de Pedro Pereira/mediotejo.net:

Fotos de: Pedro Nasper
Fotógrafo Pessoal de Atletas de Futebol
pedronasper.pt

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Entre na conversa

1 Comentário

  1. UM DEPOIMENTO INDIVIDUAL QUE NÃO GOSTARIA NUNCA DE O FAZER, por aquilo que há 50 anos tenho dado ao desporto e sobretudo ao futebol.
    Em nome da justiça e da verdade desportiva deixo aqui um depoimento que deve merecer a atenção de toda a comunidade do futebol, isto diz respeito a todos, o futebol sai a perder com esta decisão.
    ……
    Acima de tudo falta de respeito por um Clube a quem o futebol feminino em Portugal muito deve.

    Um Clube que no momento actual está no grupo de 3 com mais jogadoras inscritas.

    Que teve todas as categorias inscritas nas competições organizadas pela FPF.

    Num Clube que se dinamizou, que teve que criar uma estrutura algo pesada em termos financeiros perante a exigência da FPF.

    QUE FALTA DE SENSIBILIDADE DE UMA COMISSÃO que ao Futebol Feminino em vez da sensibilidade necessária nas decisões importantes e decisivas para a vida das pessoas e da Colectividade usa um “CUTELO” para matar, para “assassinar” o trabalho de muitos profissionais, de muita gente que não sendo profissional trabalha como tal, de certeza muito mais horas diárias que esta incapaz Comissão.

    Dentro do prazo o CLUBE apresentou o requerimento que fez à CML, só que a Declaração que dá a habilitação surge um dia depois da data, não obstante, repito, a Federação – COMISSÃO DE LICENCIAMENTO – foi informada dentro do prazo que o CLUBE FUTEBOL BENFICA tinha solicitado a respectiva declaração.

    De espantar, que o CANAL 11 – órgão da FPF durante a transmissão do jogo (FINAL) com o OURIENSE repetidas vezes ia informando que “mesmo que o FOFO ganhe não sobe Á LIGA BPI”.

    Nem dava para acreditar que a FPF, órgão responsável por todo o futebol , viesse a tomar posição tão radical.

    A pergunta sacramental: Então porque sujeitaram aquelas miúdas a espectáculo tão indecoroso, ou seja, manifestações de alegria e contentamento, de RIO MAIOR a LISBOA e depois no Arraial da Freguesia numa manifestação de grande regozijo, perante muitos milhares de fregueses, recebidas em apoteose e no dia seguinte começar a constar que o CLUBE FUTEBOL BENFICA não subia à LIGA BPI.

    Que fantochada! Que falta de sensibilidade! No século XXI uma decisão destas, só pode ter o apoio desta Comissão de Licenciamento.

    Porque razão então a FPF marcou este jogo? Estádio, árbitros, equipas, assistentes, policiamento, tudo perfeito, todos estes elementos prestaram-se a um espectáculo inolvidável, toda aquela gente fez parte de uma cena cómica sem saber.

    Fomos todos utilizados como fantoches, num espectaculo transmitido por um canal da responsabilidade da FPF.

    Será que haverá alguém para além desta COMISSÃO que esteja de acordo com esta decisão ?

    Esta decisão serve o futebol? NÃO, NÃO SERVE e é mais um caso de final de época a que já nos habituamos.

    A COMISSÃO DE LICENCIAMENTO
    tem que se retratar e considerar o documento apresentado em devido tempo – o requerimento à CML

    PS – Não pode, num campo onde se joga futebol há 62 anos, todos os anos vistoriado pelos serviços respectivos da Federação ser o “carrasco” de decisão tão insólita como esta.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.