Mação sagrou-se este ano campeão distrital da 1ª divisão pela primeira vez na sua história. Foto: mediotejo.net

O trajecto de vida das muitas agremiações desportivas do nosso país é, de um modo geral, marcado por altos e baixos, fruto da maior ou menor dinâmica que lhe é incutida, mas sobretudo pela capacidade de agregação que os seus dirigentes, num determinado momento, conseguem implementar junto dos seus sócios e simpatizantes.

Por outro lado, a afeição que esses mesmos sócios e simpatizantes leia-se adeptos a partir daqui, demonstram pelo seu clube, o tão propalado bairrismo, praticamente já em desuso, salvo raras e boas excepções, é outro agente condicionante para o sucesso ou ausência do mesmo. Seja em termos desportivos ou de qualquer outra índole, mediante aquele que é o principal desiderato que se queira atingir.

Um abraço de campeões, entre presidente da ADM e treinador. Foto: mediotejo.net

Fundado no dia 18 de Novembro de 1978, certamente por um grupo de entusiastas maçaenses, a Associação Desportiva de Mação (ADM) é o exemplo paradigmático de um clube que, perto de completar quatro décadas de existência, pautou o seu percurso assente nas premissas atrás referenciadas. Mais ou menos devoção. Mais ou menos voluntarismo. Mais ou menos bairrismo. Mais ou menos recursos. Mais ou menos adeptos. Mais ou menos…

Ou seja, percorrendo paulatinamente o seu caminho, a ADM, forma carinhosa como é tratada, foi consolidando a sua presença no contexto do futebol distrital, e neste particular não me refiro só ao futebol sénior, como também nos vários escalões de formação, embora o futebol dos graúdos seja aquele que tem sempre uma maior visibilidade e mediatismo à sua volta.

Equipa da ADM que carimbou em Samora Correia a subida histórica aos campeonatos nacionais. Foto: mediotejo.net

Talvez por isso, o sucesso agora alcançado com a conquista do Campeonato Distrital da 1ª Divisão da Associação de Futebol de Santarém (AFS) e a consequente ascensão na próxima época ao Campeonato de Portugal, o terceiro escalão do futebol português, não possa ser considerada uma surpresa, face ao trabalho que, particularmente nas últimas duas décadas, tem vindo a ser desenvolvido e que levou à afirmação plena da ADM como uma dos clubes de referência do Distrito de Santarém.

E um primeiro sinal deste crescimento sustentado foi dado na época 2007/2008 com a conquista da sua primeira Taça do Ribatejo, precisamente no Estádio Municipal de Abrantes, perante um Clube Atlético Riachense que se apresentava amplamente favorito. Contudo, a vitória acabaria por sorrir aos maçaenses, que assim viram a sua galeria de troféus enriquecida. Sucesso que voltou a repetir-se na época passada.

Apresentando-se mais uma vez como outsider, a ADM não se intimidou diante de um super-favorito Coruchense e apoiada por uma numerosa falange de apoio, talvez nunca protagonizada anteriormente pelos adeptos maçaenses, inscreveu o seu nome na lista de clubes que por duas vezes conquistaram o troféu.

A AD Mação é o atual detentor da Taça do Ribatejo e no dia 13 de maio vai tentar revalidar a conquista do troféu. Foto: mediotejo.net

E como não há duas sem três, daqui a uns dias lá estará novamente no palco da final, quem sabe para arrecadar a dobradinha das competições distritais da presente época. De premeio, já no início desta época, não faltou a conquista da Supertaça Dr. Alves Vieira respeitante à época anterior, repetindo a vitória sobre o Coruchense.

A equipa de Mação conquistou a Supertaça Alves Vieira ao bater o Coruchense por 3-1, em Torres Novas. Foto: mediotejo.net

Perante estes factos, só por despeito ou ignorância poderá ser colocada em causa a justiça do título agora alcançado. Os jogos ganham-se dentro das quatro linhas e foi aí que a ADM demonstrou ser superior a todos os seus concorrentes.

Um título que pessoalmente me deu uma particular satisfação. Por muitas razões. Pela amizade especial que nutro por muitos maçaenses. Pelo Vasco, pelo Jaime, pelos Marques, pelo Carlos, pelo saudoso Chico Zé, que neste momento tinha de vir obrigatoriamente à memória, mas também por ter o privilégio de assistir ao sucesso de muitos que comigo se cruzaram na minha caminhada enquanto dirigente desportivo.

Vasco Estrela, presidente da CM Mação, acompanha a equipa em todos os desafios. Em Samora Correia, assistiu a mais um momento histórico do clube maçaense. Foto: mediotejo.net

Ao Fábio Patrício, agora director desportivo, Rui Sousa, Diogo Rocha, Bruno Lemos, Pedro Louro, Carlos Nabais, jogadores que envergaram a camisola do Abrantes Futebol Clube, como também ao Luís Esteves, Ducho, Júlio Batista, Miguel Luz, atletas que comigo partilharam momentos na seleção distrital de seniores da AFS, não posso deixar de felicitar efusivamente, cumprimento esse extensível a todos os outros que deram corpo a uma equipa em que a união e a sempre imprescindível vontade de vencer foram as suas principais armas.

Relembrar-lhes os nomes é tão só uma forma singela de os homenagear. Que muitos outros êxitos pessoais e desportivos se repitam é o que mais desejo.

Mas, há sempre um ‘Mas’, não podia concluir sem fazer duas menções com especial significado. Ao João Espírito Santo, timoneiro da nau maçaense que, dentro de um quadro de enormes constrangimentos conseguiu encontrar os ventos certos para levar o barco a bom ponto. Ao Vasco Estrela, presidente da Câmara Municipal de Mação. Só alguém com a sua perseverança, coragem e acima de tudo determinação, conseguiria contribuir para colocar o concelho de Mação no mapa futebolístico nacional.

Tudo isto depois daquilo que foi a tragédia a que todos assistimos com o flagelo dos incêndios no ano passado. Só por isso, o êxito desportivo agora alcançado terá de ser duplamente valorizado.

João Espírito-Santo, presidente da ADM, aqui na festa do título com o treinador, João Vitorino. Foto: mediotejo.net

Dois bons amigos, a quem o concelho de Mação diariamente presta o reconhecimento devido. O trabalho que desenvolvem em prol dos maçaenses está à vista de todos. É como o algodão, não engana.

Parabéns Vasco! Parabéns Espírito Santo! Parabéns ADM. O Concelho está certamente orgulhoso de todos vós. Como também o futebol distrital.

A cumprir 40 anos de história, a ADM vai competir pela primiera vez nos campeonatos nacionais na época 2018-2019. Foto: mediotejo.net

Nota: Na época 94/95 tive a honra de envergar a camisola da ADM. Mais importante que qualquer resultado desportivo foi a amizade que conquistei junto de muitos maçaenses e que ainda hoje perdura. Só por isso já valeu a pena.

Nuno Pedro

Com uma vida ligada ao futebol, particularmente enquanto dirigente, Nuno Pedro, abrantino, 46 anos, integra desde 2008 o quadro de Delegados da Liga Portuguesa de Futebol Profissional e mais recentemente a direcção da Associação de Futebol de Lisboa mas, acima de tudo, tem uma enorme paixão pela modalidade. Escreve no mediotejo.net de forma regular.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.