A Aldi encerrou no final de setembro quatro lojas em Portugal, duas delas em Entroncamento e Ourém, na região do Médio Tejo, confirmou à Lusa o grupo alemão de supermercados.

Questionado sobre o encerramento de lojas em Portugal, o grupo alemão explicou que se trata “apenas de um reposicionamento da marca e de um ajustamento ao mercado nacional”, adiantando que algumas destas lojas poderão mesmo reabrir “a médio prazo”.

Em relação aos postos de trabalho, o responsável de expansão da Aldi Portugal, Rui Farinha, explicou que só no caso de Portalegre é que os postos de trabalho estão em causa, sem adiantar quantos.

Nos outros três supermercados, acrescentou, “as pessoas podem ser transferidas para as lojas vizinhas”.

Ainda na resposta por escrito à Lusa, a ALDI sublinhou que o grupo está “em franca expansão” em Portugal, referindo que “presentemente” faz uma seleção mais apertada antes da abertura de novas lojas.

Ainda assim, a cadeia admite “a médio prazo poder reabrir algumas das lojas encerradas”, dado que são património da ALDI.

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.