O Lancia Stratos de Miguel Oliveira foi a vedeta.

O Pedrinha Motor Clube, de Alcanena, organizou no sábado, dia 26 de janeiro, a 1ª edição do Rali Capital da Pele – Regularidade Histórica. Esta prova, desafiante para máquinas, pilotos e navegadores, realizou-se na região do Médio Tejo e teve uma extensão aproximada de 400 quilómetros, dos quais 55% realizados em provas de regularidade, 4 secções (sendo uma delas totalmente noturna) e mais de 220 controlos.

Pelas suas características, esta prova reviveu as origens dos ralis de regularidade que antecederam os Ralis no formato que hoje os conhecemos.

O Volvo 144S de 1968 foi o mais antigo dos automóveis presentes.

Sujeitos à Carta de Controlo e a tudo o que nela está indicado, os participantes enfrentaram provas de regularidade absolutas, hectométricas, figuras, sectores, controlos horários e controlos horários sem paragem. A informação disponibilizada antecipadamente era escassa sendo complementada com outra fornecida no início ou no decorrer da prova.

E para tornar o encontro mais desafiante, a carta de controlo e o roadbook foram entregues um minuto antes da partida de cada secção.

Sem ser o vencedor ou tão pouco o mais antigo, o bonito Lancia vermelho de Miguel Oliveira, patrão da Diabolique e que tantas alegrias deu aos amantes dos ralis, não passou despercebido pela sua agressividade, beleza e raridade.

O veículo mais antigo presente foi o Volvo 144S da equipa João Botequilha/Magda Ferreira. Foi registado em 1968. No final a classificação dos três primeiros ficou assim ordenada:

1º- António Ramos/ Ivo Tavares (Toyota Corolla GTI de 1988)
2º- Abílio Gonçalves/ Maria Gonçalves (Volkswagen Golf GTI 16S de 1987)
3º-João Martinho/ Tiago Caio (Ford Escort XR3 de 1981)

Os vencedores, António Ramos/ Ivo Tavares (Toyota Corolla GTI de 1988) na partida do Kartódromo de Abrantes.

Com 22 participantes, alguns vindos de Espanha e muito público a ver passar estes históricos, o Rali terminou com um jantar convívio onde foram entregues os vários troféus. O vencedor recebeu uma inscrição para a “III Clásica Invernal Sierra de Gata”, a decorrer em fevereiro na Cantábria em Espanha. Esta iniciativa teve o apoio da Câmara Municipal de Alcanena.

FOTOGALERIA:

*Com David Belém Pereira (fotos).

Jorge Santiago

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *