Foto: Facebook Biblioteca Municipal de Alcanena

A Biblioteca Municipal Dr. Carlos Nunes Ferreira, em Alcanena, promove, durante este mês de janeiro diversas iniciativas disponíveis ao público através de vias digitais.

Encontra-se patente até dia 31 de janeiro a exposição “Vida e Obra de Bernardo Santareno” e ainda a mostra biobibliográfica «Gomes Leal – Cem anos da morte de um poeta» até dia 27 de fevereiro.

Quanto às iniciativas que podem ser acompanhadas através de canais online destaque para:
Dia 8 – 11h00 – Dá-me poesia: dar voz aos nossos poetas
(rúbrica mensal de divulgação dos poetas do Grupo de Poesia e Cultura da BM Alcanena)
Dia 12 – 11h00 – Hora do Conto: “Não Abras Este Livro” – escrito por Andy Lee, ilustrado por Heath Mckenzine, editado pela Jacarandá
Dia 16 – 16h00 – “Olhos que não veem, coração que não sente”? As emoções, o lado escondido na pandemia – Impactos da pandemia na saúde mental | Conversa e debate com a psicóloga Núria Duarte
Dia 20 – 11h00 – Oficina de Construção de um sapo saltitante
Dia 26 – 11h00 – Hora do Conto: Truz-Truz – escrito por Natalina
Cóias, Ilustrado por Paulo Galindro, editado pela Minotauro
Dia 30 – 15h00 – Encontro de Poesia e Cultura – Bernardo Santareno

As atividades programadas estarão disponíveis em:
Facebook: https://pt-pt.facebook.com/bibliotecamunicipal.dealcanena/
Youtube: http://bit.ly/bibliotecamunicipalalcanena
Instagram: @bibliotecamunicipalalcanena

Para mais informações, pode contactar a Biblioteca Municipal de Alcanena, através do telefone 249 891 207 ou do email biblioteca@cm-alcanena.pt

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *