Cenário magnífico rodeou o Portugal-Rep.Checa. Foto: mediotejo.net

PORTUGAL 0 – REPÚBLICA CHECA 3
Jogo de preparação de Sub 20
Estádio Municipal
Abrantes
31-08-2017

Muita disputa de bola a meio campo.

Um final de tarde com cores bonitas no horizonte, num relvado excelente, bancadas compostas, temperatura amena e duas seleções com valor.
Estava criado o cenário para o arranque dos trabalhos da Seleção Nacional de sub 20.
Neste primeiro embate da época Portugal apresentou uma seleção renovada, com caras novas e com José Guilherme no comando.
O jogo começou com as equipas encaixadas, muita circulação de bola, com as defesas a superiorizarem-se aos ataques.
Foi sem surpresa que os primeiros sinais de perigo surgissem de bolas paradas e apenas aos 12 minutos com a bola batida por
Rui Pedro a esbarrar na densa barreira checa e a dar canto. Batido à maneira curta de forma ineficaz.
Três minutos depois a formação das quinas volta a beneficiar de novo livre, pela esquerda do seu ataque, à entrada da área.
Abdu Conté chutou forte, a meia altura, para interceção dum contrário.
Recompôs-se a equipa de leste e aos 17 minutos, em jogada bem jizada, com muita circulação de bola, entrou na àrea portuguesa e num desentendimento entre os defesa a
bola sobrou para Daniel Turyna que aproveitou para abrir o marcador.
Portugal jogava com dez por lesão temporária de Rui Pedro.

Daniel Turyna, autor de dois golos.

Portugal acusou o golo e os Checos tentaram matar o jogo.
Aos 20 minutos o extremo direito cruza com muito perigo e a bola rondou a baliza lusa acabando por sair pela linha de fundo.
Dez minutos depois, em jogada de envolvimento, com cruzamento da esquerda, voltam a por à prova as capacidades do guarda redes Daniel Figueira que defende para canto.
Aos 35 minutos surgiu a melhor oportunidade para as cores lusas: o talentoso Domingos Quina é travado em falta à entrada da área e do livre resulta uma defesa
acrobática, de enorme dificuldade para o guarda redes Dominik Svacek.

Defesa acrobática de Dominik Svacek.

Cinco minutos mais tarde A República Checa beneficiou de canto bem executado com a cabeçada a esbarrar no poste mais distante do guarda redes Daniel Figueira e a sair
pela linha final.
Adivinhava-se o segundo da equipa de leste…
A faltarem três minutos para o descanso, em nova jogada de envolvimento, Michal Hlavaty deu o toque final para o fundo das redes nacionais fixando o 2-0 com que se
chegaria ao intervalo.

Daniel Figueira é batido pelo remate cruzado de Michal Hlavaty.

José Guilherme aproveitou o descanso para refrescar a sua linha média e atacante.
Portugal tentou corrigir algo e o futebol tornou-se mais fluído.
Foi em toada de equilíbrio que se assistiu ao primeiro remate de longe, aos cinco minutos desta segunda parte, para Jan Vodhanel.
Respondeu o recém entrado André Vidigal para defesa apertada do guarda redes checo.
Os Checos não desistiam de atacar e obrigaram o guarda redes português a opor-se a remate perigoso de Tomás Wiesner.
O minuto 13 da segunda parte foi aziago para as cores lusas. Em jogada de insistência pelo corredor esquerdo Tomás Ladra cruzou, no limite da linha de fundo, encontrou
Daniel Turyna que encostou para o seu segundo no jogo.

República Checa com motivos para festejar.

Apesar do resultado desnivelado o jogo repartia-se pelos dois meios campo.
Aos 69 minutos belo momento de futebol. João Lameira, entrado à pouco, executou um pontapé de bicicleta, já na área contrária e por pouco não surpreende Svacek.
A equipa de Portugal tentava o golo de honra mas o melhor que obteve foi uma sequência de cantos.
A dois minutos do final o possante atacante Jiri Klima interpôs-se entre a defesa da quinas, roubou o esférico e isolado fez brilhar a grande altura Daniel Figueira
que ainda se opôs ao pontapé de ressaca.
Pouco depois o árbitro suiço Pascal Erlachner apitou pela última vez selando a vitória da República Checa.
Vitória justa, por números exagerados, da equipa mais pragmática com melhor índice de aproveitamento.
Arbitragem impecável do suiço bem auxiliado por Pedro Felisberto e Pedro Mota.

Apoiantes da Rep.Checa fizeram a festa.

FICHA DO JOGO

PORTUGAL:
Daniel Figueira, Alexandre Pinto, Helder Baldé, João Queiróz, Abdu Conté, Rui Pires, Rui Pedro, Domingos Quina, André Sousa, Madi Queta e Bruno Paz.
Suplentes: Carlos Alves, Fábio Duarte, Tiago Dias, João Simões, Luís Silva, João Lameira, André Vidigal e Pedro Marques.
Treinador: José Guilherme.

Seleção Nacional de Portugal Sub 20

REPÚBLICA CHECA:
DominiK Svacek, Matej Chalus, Matej Helebrand, Tomás Wiesner, Daniel Turyna, Filip Havelka, Jan Vodhanel, Michal Surzyn, Alex Kral, Tomás Ladra e Michal Hlavaty.
Suplentes: Nicolas Smid, David Stepanek, Ladislav Muzic, Jiri Klima, Josef Kvida, Jacub Janetzky, Filip Hasek e Jan Kuchta.
Treinador: Karel Krejci.

Golos: Daniel Turyna (2) e Mical Hlavaty (Rep. Checa).

Seleção da República Checa Sub 20

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Pascal Erlachner (SUI), Pedro Felisberto, Pedro Mota e Luís Máximo (POR)

Disciplina
Cartão amarelo: Michal Surzyn (Rep.Checa)

Equipa de arbitragem: Pascal Erlachner (SUI), Pedro Felisberto, Pedro Mota e Luís Máximo (POR)

Com Vinicius Alevato e David Pereira (fotos)

Jorge Santiago

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.