A noite é fria no Centro Coordenador de Transportes de Abrantes e o movimento não existe no piso onde os autocarros se preparam para as partidas do dia seguinte, mas no primeiro andar. É aqui, na sede do Clube Náutico de Abrantes, que o novo grupo vocal “Vox Populi” prepara o concerto de estreia marcado para as 21h30 desta sexta-feira, dia 12, no âmbito da iniciativa “Residente(s) no Cineteatro S. Pedro”. Fomos conhecer a nova voz do concelho.

A viagem musical de pessoas diferentes que o gosto pela música uniu começou há praticamente um ano quando o Orfeão de Abrantes pediu ao mentor do projeto, Hélder Silvano Neves, para fazer algo “diferente” no concerto de Natal de 2016. Foram preparados alguns temas em playback, uma novidade no percurso musical da associação cultural que comemora 89 anos no próximo dia 20 de janeiro, e o resultado fez com que a experiência passasse de pontual a regular.

Uma vez feitas as audições, o concelho ganhou uma nova voz. Aliás, não uma, mas 12 vozes abrantinas que formam a “voz do povo”. Segundo o diretor artístico, a expressão em latim foi pensada devido ao facto do projeto juntar pessoas com vidas ditas “normais”, isto é, saem de manhã para a escola ou o trabalho numa rotina quotidiana que é quebrada pela presença da música que fazem em conjunto.

Hélder Silvano Neves, mentor e diretor artístico do novo grupo vocal. Foto: mediotejo.net

O tempo de convivência é mais longo no caso dos elementos provenientes do Orfeão de Abrantes, a maioria, e a integração dos três “novatos” foi rápida, levando a que sejam caraterizados como “uma família” formada por Andreia Bonito, Carina Alves, Carlos Acácio Marchão, Carolina Siborro de Azevedo, Catarina Novais, Daniel Rosado, Jorge Beirão, Hugo Oliveira, Luísa Espadinha, Miguel Neves, Patrícia Calhau e Paula Novais.

O grupo é transversal a gerações e estilos musicais. Um traço que distingue os Vox Populi de outros grupos do género, maioritariamente constituídos por profissionais ou estudantes de canto que optam por interpretações “a capella”. A nova voz de Abrantes assume o seu lado amador sem problemas, afinal de contas é a “voz do povo” e é ao povo que quer agradar através do repertório constituído por êxitos de todos os tempos e temas inéditos, como “Edelweiss” do filme “Música no Coração” ou “À flor da pele”, da autoria de Hélder Silvano Neves.

Um dos momentos do ensaio. Foto: mediotejo.net

As expetativas para o concerto de estreia em que o playback instrumental de cada canção sairá das colunas são “muito boas” e a hipótese de partilhar o palco no futuro com uma orquestra não é colocada de parte. A estreia era ansiada há algum tempo, mas optaram por ir afinando o processo que o diretor artístico considera ter sido “gradual” e incluiu a adaptação à nova tecnologia que implica, por exemplo, a utilização de auscultadores durante os ensaios.

Nestes momentos, a batuta é dividida com a mesa de mistura ligada ao computador e a atual “orquestra” tem um nome, “mp3”, o formato dos temas pré-gravados. Hélder Silvano Neves diz que o seu percurso musical é escasso e assume a música como o hobbie de eleição que perdura desde os tempos em que “batia o pezinho” quando estava sentado “no bacio”. Chegou a frequentar o ensino superior na área musical, mas a formação acabou por arder num incêndio do Conservatório de Coimbra levando-o a percorrer outros caminhos.

Vox Populi. Foto: mediotejo.net

Num deles cruzou-se com outro hobbie, a meteorologia, materializada, por exemplo, no site meteoabrantes.info. Pegando nesta vertente, pedimos uma previsão ao antigo docente e ex-vereador da Câmara Municipal de Abrantes e este assegurou-nos que a noite não se avizinha “simpática” com a passagem de uma nova “superfície frontal”, mas assegurou que a tempestade apenas chegará depois do espetáculo, na madrugada de sexta-feira para sábado.

Em suma, o bom tempo junta-se à boa música no concerto desta sexta-feira. Quem comprar bilhete para a estreia dos Vox Populi não terá como destino um dos locais indicados nas placas do terminal de autocarros onde o grupo vocal ensaia pois a viagem sugerida é até ao centro da cidade de Abrantes na noite em que o palco do Cineteatro S. Pedro revela a nova voz do concelho.

Sónia Leitão

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.