Cerimónia do primeiro aniversário do RAME. Foto: mediotejo.net

O Regimento de Apoio Militar de Emergência (RAME) assinalou o seu primeiro aniversário na manhã de quinta-feira, dia 23, no Quartel de São Lourenço, onde está sediado desde 1 de novembro de 2016. A cerimónia oficial foi presidida pelo Chefe do Estado-Maior do Exército (CEME), General Rovisco Duarte, e entre os diversos momentos simbólicos estiveram a entrega do Estandarte Nacional e o Juramento de Bandeira do 5º Curso de Formação Geral Comum de Praças do Exército (CFGCPE).

O programa comemorativo teve início às 07h00 com a alvorada festiva, à qual se seguiu o hastear da Bandeira Nacional, pelas 08h00. Os convidados começaram a passar na Porta de Armas do RAME a partir das 10h00, uma hora antes do Chefe do Estado-Maior do Exército (CEME), General Rovisco Duarte, entrar na Parada Chaimite para presidir à cerimónia na tribuna de honra acompanhado por representantes de entidades militares e civis, nomeadamente a presidente da Câmara Municipal de Abrantes, Maria do Céu Albuquerque.

Centenas de pessoas assistiram aos momentos simbólicos que decorreram ao longo da manhã no local onde estavam expostas algumas capacidades do Apoio Militar de Emergência. As forças em parada, sob o comando do 2º Comandante do RAME, Tenente-Coronel de Infantaria António Ferreira, eram constituídas pela Banda e Fanfarra do Exército e pelotões da Companhia de Comando e Serviços do RAME, Companhia de Formação do 5º CFGCPE, que juraram bandeira, e Companhia de Formação do 6º CFGCPE.

A cerimónia foi presidida pelo CEME, General Rovisco Duarte. Foto: mediotejo.net

Público, convidados e militares presenciaram a entrega do Estandarte Nacional ao RAME, que passou das mãos do CEME para o Comandante desta unidade militar, Coronel de Artilharia César Reis. O Hino Nacional ecoou pelo RAME e seguiram-se uma homenagem aos mortos em campanha e a imposição de condecorações a militares e antigos combatentes.

O Tenente Coronel de Cavalaria Alexandre Moura e o Capitão Técnico de Pessoal e Secretariado Marco Ordonho receberam a Medalha de Mérito Militar (Grã-Cruz) de 2ª e 3ª classes, respetivamente. A Medalha de Comportamento Exemplar, grau cobre, foi recebida pelos soldados Frederico Martins e Aníbal Marante e o primeiro-cabo cabo na reserva de disponibilidade Rui Rocha. O momento terminou com a entrega da Medalha Comemorativa das Campanhas aos ex-combatentes José Campos, José Silva, Valentim Brás e Joaquim Castanheira.

O RAME recebeu o seu Estandarte Nacional. Foto: mediotejo.net

A cerimónia continuou com o discurso do Comandante do RAME para quem o regimento foi “sendo construído com as gentes de Abrantes” ao longo do seu primeiro ano de existência, salientando que a “porta de armas não serve para bloquear as entradas, mas si para dar as boas-vindas a quem nos visita”. Na sua intervenção, o Coronel César Reis dirigiu-se aos 106 soldados recrutas (86 homens e 20 mulheres) do 5º CFGCPE e fez um balanço dos primeiros passos do RAME, marcados pelos incêndios florestais que assolaram o país.

O tema também esteve presente na intervenção do General Rovisco Duarte, que destacou “o empenhamento e relevância do trabalho de todos os militares e civis que prestam serviço” no RAME. A missão desta unidade, acrescentou, “não foi, nem nunca será uma tarefa fácil”, tendo a criação da capacidade militar de emergência representado “um desafio estimulante para o exército, que o exército assumiu e soube levar a bom porto” com o objetivo de contribuir para a “qualidade de vida das populações”.

Imposição de boinas aos soldados-recrutas do 5º CFGCPE. Foto: mediotejo.net

As atenções viraram-se para os pelotões da Companhia de Formação do 5º CFGCPE, na qual estava o soldado-recruta Fernando Domingues, que foi reconhecido por se ter distinguido com a classificação final de 16,99 valores. Uma vez lidos os deveres militares, 106 vozes juraram servir a Pátria e, pouco depois, os soldados Miguel Leitão, Fernando Domingues e Pedro Pereira foram distinguidos pelo Mérito Escolar, Mérito Pessoal e Desembaraço Físico, respetivamente, com a imposição das primeiras boinas castanhas.

Os restantes soldados receberam as suas de seguida perante os olhares de muitos familiares e amigos e as comemorações do primeiro aniversário do RAME terminaram com um desfile das tropas em parada e a atuação da Banda e Fanfarra do Exército.

Sónia Leitão

Nasceu em Vila Nova da Barquinha, fez os primeiros trabalhos jornalísticos antes de poder votar e nunca perdeu o gosto de escrever sobre a atualidade. Regressou ao Médio Tejo após uma década de vida em Lisboa. Gosta de ler, de conversas estimulantes (daquelas que duram noite dentro), de saborear paisagens e silêncios e do sorriso da filha quando acorda. Não gosta de palavras ocas, saltos altos e atestados de burrice.

Entre na conversa

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.