Maria de Lourdes Pintasilgo nasceu em Abrantes, em 1930. Foto: DR

O Município de Abrantes instituiu este ano 2022 o Prémio Municipal Maria de Lourdes Pintasilgo, um prémio “transversal” e abrangente a toda comunidade, IPSS, empresas, associações e escolas, entre outros, com objetivo de divulgar e estimular boas práticas de cidadania, incentivando o debate público e a partilha de ideias entre todos os agentes. O concurso está a decorrer até ao final de ano.

Numa época em que se vive uma nova normalidade, depois de dois anos de confinamentos, solidão, restrições à liberdade em nome da saúde pública e em que se reaprende a estar em sociedade, atos de altruísmo, boas práticas de cidadania e cuidar do outro são palavras de ordem, geradoras de múltiplas medidas e ações, muitas delas voluntárias, para garantir proteção, segurança e bem-estar na comunidade, sendo esta uma forma também de lhes dar mérito e visibilidade.

A vereadora Raquel Olhicas, responsável pela Ação Social, apelou à participação da sociedade abrantina nesta iniciativa do município, que já recebeu algumas candidaturas e que decorre no âmbito do Plano Municipal de Cidadania, Igualdade de Género e Não Discriminação.

ÁUDIO | RAQUEL OLHICAS, VEREADORA CM ABRANTES:

O Prémio, concedido de dois em dois anos, com início este ano 2022, destina-se a distinguir entidades públicas e/ou privadas do concelho de Abrantes que implementem boas práticas na integração de medidas de promoção da igualdade de género, quer na sua organização ou no seu funcionamento, desde que estimulem a promoção da Igualdade e não Discriminação entre homens e mulheres, nomeadamente na conciliação da vida profissional, familiar e pessoal e na proteção da maternidade e paternidade.

Segundo o regulamento, o prémio consiste na atribuição de um montante pecuniário no valor de 500,00€, sendo também atribuído um certificado de mérito a confirmar que a entidade é reconhecida como um dos melhores locais do concelho de Abrantes para trabalhar no que diz respeito a igualdade de género e não discriminação.

Figura incontornável do panorama cultural, social e político português, Maria de Lourdes Pintasilgo nasceu em Abrantes a 18 de janeiro de 1930, cidade onde viveu até aos 12 anos.

O seu percurso começou a diferenciar-se quando se formou em Engenharia, durante os anos 50 do século XX. Ligada aos movimentos estudantis católicos, entrou na vida política antes da revolução de 1974, foi a primeira mulher secretária de Estado, a primeira a assumir uma pasta ministerial, única primeira-ministra, primeira embaixadora e primeira mulher a candidatar-se à Presidência da República.

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.